Dois desfiles inesquecíveis e campeões do Salgueiro: 1993 e 2009. Para muitos salgueirenses, o “Explode Coração” é o com maior comunicação com o público. Para outros, o “Tambor” é apresentação mais completa da vermelho e branco.

“Peguei um Ita no Norte”, de 1993, foi desenvolvido pelo carnavalesco Mário Borriello. “O enredo escolhido pelo G.R.E.S. Acadêmicos do Salgueiro para o carnaval 1993, “Peguei um Ita no Norte”, tem por objetivo prestar uma homenagem ao valente migrante nortista/nordestino, que veio contribuir, com sua vontade e perseverança para o desenvolvimento e progresso das outras regiões brasileiras. Mostra, através de sua viagem, um mosaico de folclores, tradições e costumes de partes de nosso país, procurando manter sempre vivas as diversas manifestações culturais que fazem a história de um povo”, trecho da sinopse da escola.

“Tambor”, de 2009, foi desenvolvido por Renato Lage. Abaixo, você confere trecho da sinopse.

“Do Carnaval, das escolas, das baterias.
Repiques, pandeiros e caixas.
Taróis, tamborins, surdos de marcação.
De magia. De samba.
Furioso. Dos Mestres. Do Mestre.
Da Academia.
Do Mundo. Da Vida.
Do Coração.
Tambor”.

Pelo site CARNAVALESCO, Eduardo Fonseca escolheu 1993 e Daniela Lima pegou o ano de 2009. Abaixo, você confere as duas defesas.

Salgueiro 1993 (Por Eduardo Fonseca): Quem nunca cantou “explode coração”? Este samba é símbolo de um desfile memorável e inesquecível para qualquer sambista que começou a amar e descobrir o samba na década de 1990. O desfile em si não é dos melhores da história do Salgueiro. Mas, um refrão forte na cabeça do samba fez a Sapucaí delirar e cantar de ponta a ponta “explode coração/na maior felicidade/ é lindo meu Salgueiro/contaginando, sacudindo esta cidade”. O que se viu na avenida naquele dia, jamais foi visto novamente. Acho que jamais se repetirá. A Furiosa, comandada pelo saudoso mestre Louro, a comissão de frente, comparada com os dias de hoje foi até simples. Porém de um grande efeito aquela bandeiras vermelhas e brancas. Cabe lembrar, que na década de 1990, as comissões de frente não tinham as alegorias e pirotecnias que vemos hoje. No comando do carro de som, o incomparável Quinho e seus inúmeros cacos. Dois dados que chamam a atenção: número de componentes da academia: 5500 e carros alegóricos? 12. Isso mesmo, 12 alegorias. Com todos estes ingredientes, “Peguei um Ita no Norte” é um dos desfiles mais emblemáticos que tive a oportunidade de ver”.

Salgueiro 2009 (Por Daniela Lima): O desfile inesquecível do Salgueiro é o de 2009. Depois de 16 anos sem vencer a escola voltou a pisar forte na Avenida, com alegorias luxuosas e imponentes. No melhor estilo Renato Lage, a agremiação apresentou fantasias requintadas e muito bem acabadas, sem falar que a comunidade estava pulsando. Os componentes cantavam forte o samba e brincavam no ritmo do tambor, tema do enredo daquele ano. Outro ponto forte foi o abre-alas. Gigante, super bem acabado, rico em detalhes e bom acabamento. Aqueles tambores com o símbolo da escola e aqueles bailarinos num balé sobre o ar tocando os tambores foi impactante.Pra mim esse desfile tem um componente ainda mais especial, foi a primeira vez que pisei no Sambódromo. Sempre tive um carinho pela Academia, via os desfiles pela TV e curtia muito. Mas, foi naquela segunda-feira que me apaixonei de verdade pela escola, aquele desfile foi mágico. A escola já pisou na Avenida com postura de campeã. Me apaixonei ali e decidi torcer pelo Salgueiro a partir daquele momento”.

O resultado será divulgado na quarta-feira.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui