Dois desfiles campeões na Vila Isabel ficaram marcados pelo samba-enredo e agora estão na série “Duelo dos Desfiles”. Abaixo, você confere um pouco dos dois desfiles escolhidos e pode votar no seu inesquecível. O resultado sai na sexta-feira. “Kizomba, festa da raça”, de 1988, teve Martinho da Vila como autor e foi desenvolvido pelo trio Milton Siqueira, Paulo César Cardoso e Ilvamar Magalhães. “A Vila canta o Brasil celeiro do mundo – Água no feijão que chegou mais um…”, de 2013, foi desenvolvido pela carnavalesca Rosa Magalhães.

“Hoje, o samba, homenageia o agricultor! Os sambistas celebram e eternizam esse personagem de real valor! A viola se junta aos pandeiros, chocalhos e surdos de primeira, para unir a cultura do sambista com a do homem do campo, numa grande festa de celebração da colheita. E, neste palco iluminado, por confetes e serpentinas, a Vila de Noel e de Martinho vem homenagear essa figura notória, original e bem brasileira: o agricultor. Ele merece o nosso respeito!!! É o agricultor brasileiro ajudando a alimentar o mundo!!!”, trecho retirado pela sinopse do enredo de 2013.

“Kizomba é uma palavra do Kimbundo, uma das línguas da República Popular de Angola. A palavra Kizomba significa encontro de pessoas que se identificam numa festa de confraternização. Do ritual da Kizomba fazem parte inerentes o canto, a dança, a comida, a bebida, além de conversações em reuniões e palestras que objetivam a meditação sobre problemas comuns”, trecho retirado da sinopse de 1988.

Pelo site CARNAVALESCO, Renato Palhano escolheu 1988 e Rennan Laurente pegou o ano de 2013. Abaixo, você confere as duas defesas.

Vila 1988 (Por Renato Palhano): “Marcado como um dos desfiles mais emblemáticos da história moderna do carnaval, Kizomba, Festa da Raça, de 1988, trouxe o primeiro título da história da azul e branco de Vila Isabel. Até hoje o desfile serve como referência para escolas que não presam muito pelo luxo, mas veem na raça o maior combustível para se ganhar o carnaval. Esse foi o desenho perfeito da vila Isabel de 88, já que a escola passava por dificuldades e não tinha nem uma quadra para realizar seus ensaios. O desfile foi repleto de simbolismo: várias alas e carros da escola carregavam uma carga forte de emoção e garra do povo negro, em uma verdadeira catarse, já que naquele ano de 88 a abolição da escravatura oficial completavam 100 anos. O desfile foi tão impactante que a Vila campeã não pode desfilar no sábado das campeãs, já que uma chuva torrencial atingiu o Rio de Janeiro em cheio, cancelando os desfiles de sábado. Outro ingrediente que faz desse desfile um evento lendário”.

Vila Isabel 2013 (Por Por Rennan Laurente): “O desfile da Unidos de Vila Isabel 2013 foi inesquecível em diversos pontos, tanto que conquistou mais um título para a terra de Noel. Com o enredo sobre a vida no campo e o famoso refrão: “Festa no arraiá é pra lá de bom”, a grande Rosa Magalhães trouxe um desfile bem colorido e animado, mostrando a realidade e o canto animado. A Swingueira de Noel veio com um ritmo diferente e 100 componentes fizeram um grande arraiá na frente das cabines de julgadores. Encerrando o carnaval daquele ano, como mesmo dizia o samba: “A Vila vem colher felicidade no amanhecer.” E colheu! Sem dúvida, esse foi o melhor “caminho da roça” que uma escola já fez no carnaval carioca”.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui