Por Eduardo Fonseca. Fotos: Allan Duffes

A Mocidade Independente de Padre Miguel abriu na tarde deste domingo, na Guilherme da Silveira, seus ensaios técnicos de rua para o Carnaval 2019. A novidade foi a mudança de data, antes os treinos eram feitos nas noites de segunda, e, a partir de agora vão ser sempre aos domingos. O canto forte da comunidade foi destaque neste primeiro ensaio que durou 1 hora e 12 minutos. O site CARNAVALESCO acompanhou quesito a quesito como foi o ensaio da Verde e Branco de Padre Miguel.

Harmonia

A comunidade de Padre Miguel deu um verdadeiro show de canto neste primeiro ensaio. Mostrou que está muito bem ambientada com o “Menino tempo” (personagem que está no samba-enredo de 2019 e foi acolhido pelo Independente). O canto das primeiras alas entre os totens da primeira e segunda alegorias foi tão forte que na cabeça da escola em alguns momentos não era possível ouvir a potente voz de Wander Pires. A ala das baianas que será a primeira ala da escola cantou muito bem o samba. Como sempre as mães do samba de Padre Miguel, deram um show de simpatia e graciosidade. Elas usaram uma saia verde com símbolo da escola, com camisa verde e lenço branco na cabeça.

“Por ser primeiro ensaio foi muito positivo. O objetivo era tirar a ferrugem do corpo e entrar no ritmo. A parte técnica do ensaio foi bem realizada”, disse o diretor de carnaval, Marquinho Marino, que revelou desfilar com 3500 componentes em 29 alas, sendo 1236 fantasias doadas para comunidade.

Em relação aos ensaios de rua e a falta dos treinos na Sapucaí, Marino diz que é sempre melhor treinar no “campo de jogo”, mas que o teste de som e luz de 2018 não teve êxito.

“Seria melhor fazer o ensaio na Sapucaí. É melhor ensaiar no campo de jogo. Sinceramente, no carnaval passado o teste de som e luz não fez a menor diferença. Tivemos mais problemas que acertos com a parte de som”, frisou.

Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira

O mestre-sala Marcinho ensaiou com uma camisa branca, chapéu, calça verde e sapato verde com detalhes em dourado. Já a porta-bandeira Cris Caldas usou vertido verde cravejado de pedra com estrelas e sapato verde. Em relação ao desempenho no ensaio, eles mostraram o mesmo entrosamento do carnaval de 2018 que rendeu a nota 40. Marcinho e Cris mantiveram contato visual um com outro e com samba na ponta da língua. A apresentação durou aproximadamente 1 minuto e meio.

“É mais complicado manter a nota 40 do que obter. Nós estamos trabalhando para manter tudo o que fizemos para o carnaval passado. Estamos estudando o enredo e o samba para incorporar elementos na nossa apresentação”, disse o mestre-sala.

Em relação a possibilidade de não ter ensaio técnico na Sapucaí, Cris Caldas enfatizou que as pessoas que não possuem condições de ir aos desfiles oficiais esperam pelos ensaios para ter a oportunidade de estar perto da escola.

“Nós ficamos aguardando o ensaio técnico. As pessoas que não tem condições de assistir aos desfiles curtem demais a temporada de ensaios. Nós procuramos passar muita alegria e muito amor para as pessoas. Ficamos nesta expectativa de ter – finalizou emocionada.

Samba-Enredo

Por ser o primeiro ensaio da temporada, o samba teve um excelente desempenho. Capitaneado por Wander Pires e todo o carro de som, a obra ajudou demais no grande desempenho de canto da comunidade. Foi cantado de forma uniforme pela comunidade, sem diferença das mais partes mais altas e baixas da melodia.

De acordo com Wander Pires, tanto ele quanto a equipe do carro de som, ainda estão se adaptando ao samba. Ele ressalta que novamente a escola tem um dos grandes sambas do ano.

“Expectativa é muito grande com o samba. Ainda estamos no período de adaptação a obra. A Mocidade tem mais uma vez um dos grandes sambas da safra de 2019”, profetizou Wander.

Para o cantor, caso não tenha ensaio na Sapucaí, os ensaio de rua na Guilherme serão suficientes para a escola chegar bem preparada para o desfile oficial.

“Na minha opinião os ensaios na Sapucaí nos dão parâmetro melhor do que vamos fazer no desfile. Mas, para mim, ensaiamos tanto aqui que acaba sendo suficiente. Seria bom ter no Sambódromo, mas caso não tenha, aqui na Guilherme está ótimo”.

Bateria

A “Não existe mais quente” teve um grande desempenho no ensaio deste domingo. Mestre Dudu usou apenas duas paradinhas durante o treino, mas que serviram para mostrar que a bateria, atual vencedora do prêmio Estrela do Carnaval, está querendo o bi.

Umas das paradinhas foi usada na passagem “Baila no vento” na segunda parte do samba. A outra paradinha na cabeça do samba e parando todos os instrumentos da bateria, ficando apenas o carro de som e os instrumentos de corda. A volta foi feita com os tamborins. Mestre Dudu está preparando duas coreografias, mas, ainda não quis revelar como vão ser feitas.

“Muito feliz com o primeiro ensaio. Se fosse analisar daria 10. A bateria andou entre 142 e 144 BPM (batidas por minuto) no máximo”, afirmou..

Mestre Dudu apresentou neste primeiro ensaio uma novidade que, segundo ele, dará o que falar. É uma paradinha inversa.

“Na quinta-feira iremos retomar os ensaios e colocaremos mais umas duas bossas no samba. Vão ser quatro no total. Executamos essa paradinha inversa e depois voltamos ao contrário. 1, 2, 3 e 3, 2, 1. É uma novidade é dará o que falar”, explicou o mestre que vai desfilar em 2019 com 264 ritmistas.

A rainha de bateria Camila Silva usou uma roupa toda verde e esbanjou simpatia e samba no pé durante o ensaio. Por vários momentos a rainha parou de sambar para atender as pessoas que acompanhavam o ensaio do lado de fora da pista.

Evolução

A escola evoluiu muito bem. Não houve correria e sequer ficou muito tempo parada. As alas fluíram com desenvoltura pela pista. Destaque para o grupo que estava entre o primeiro e segundo totem que marcava alegorias.

Houve a apresentação de tripés representando os seis carros alegóricos que estarão na avenida. Casa um tinha o número da alegoria e a logomarca do enredo de 2019.

Após terminar na sexta colocação em 2018, a Mocidade fechará a segunda-feira de carnaval em 2019. A Verde e Branco aposta no enredo “”Eu sou o Tempo. Tempo é Vida”, que será desenvolvido pelo carnavalesco Alexandre Louzada.

Após o fim do ensaio, a festa tomou conta da antiga quadra da Mocidade. Veja no vídeo abaixo.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui