Por Gabriella Souza

O clima em Caxias está outro, difícil é saber qual caxiense ainda não foi ao ensaio da Grande Rio ao longo da tradicional Brigadeiro Lima e Silva. Na noite deste último domingo aconteceu o penúltimo ensaio de rua antes do desfile. A escola já finalizando seus detalhes mais cruciais realizou um treino mais sério do que o normal, mais técnico e firme do que os outros. Mas, claro, com emoção e animação de sobra com todos os setores, durante 1h20 de ensaio, acompanhado pela já tradicional multidão. A união foi o elo principal que a Grande Rio veio fortalecendo nos últimos meses para a sua preparação de 2020, de forma natural toda a escola entrou em uma sintonia, carro de som e bateria formaram a dupla essencial que fizeram o samba transcender.

A escola eleva com seu canto e a direção sempre muito bem organizada faz tudo fluir com tranquilidade, formam a receita certa que a tricolor deve levar para sua trajetória nos próximos carnavais. O diretor de carnaval Thiago Monteiro diz estar muito satisfeito com o ensaio e que a escola está no ponto em que toda a diretoria vem planejando desde março de 2019.

“Ser técnico e sério significa que a escola está evoluindo em uma sintonia fina, e, claro, com postura competitiva. Agora é acertar os pontos que ainda faltam, as fantasias começam a ser entregues amanhã (segunda-feira, dia 10 de fevereiro), temos ainda nosso último ensaio de rua no próximo domingo, mas acredito que hoje a escola já no ponto que a gente deseja, a evolução foi boa, carro de som e bateria estão ‘voando’. E realmente o que tem sido trabalhado esse tempo todo está culminando agora, eu estou muito satisfeito com esse resultado”, declarou.

Harmonia e Samba

O carro de som da escola é um show à parte por ser forte, potente e com ótimos cantores que dão corpo a um samba que pede este toque de personalidade, e o intérprete Evandro Mallandro representa isso com o nível exato, o samba lhe caiu como um presente por se entrosar com todo a harmônica de seu canto e estilo. Para quem vê é um show, a animação dele também é um destaque, Evandro canta com animação, paixão, faz os componentes cantarem o samba com orgulho e muita força. Ele se entregou ao clima caxiense, foi no meio das alas, abraçou os componentes, cantou junto, pulou no refrão, estava em todo lugar, até na bateria com mestre Fafá e as musas da escola.

Isso é entrosamento, sintonia, quem carrega um samba na voz tem que também ter o domínio do público para animar e fazer a união necessária, o intérprete mostrou neste ensaio a sua paixão e garra na busca do título, esse nível de carro de som e samba serão os diferenciais da escola, ponto crucial para o bom desenvolver do desfile.

A comunidade de Caxias fez merecer esse nível alto de samba, o elevou com orgulho e força durante todo o treino. As primeiras alas, mais distante do carro de som o cantavam com força, as vozes ecoavam em grande destaque, nas próximas alas todos estavam com o canto afiado, de andamento certo e muito explosivo no refrão, acompanhado de muita emoção, uma escola que canta em conjunto e com força é sempre um show para quem assiste, e o público também participou e fez a união com as muitas vozes da escola. É indiscutível que o samba pegou fácil e os componentes da Grande Rio já estão mais que prontos neste quesito para o desfile, a meta deve ser cantar cada vez mais e não perder essa explosão sempre vista desde os primeiros ensaios da escola.

Evolução

O quesito evolução já está encaixado, com todas as alas já organizadas e ensaiadas, destaque para as coreografadas que realizam danças africanas, pinturas no rosto e criam uma estética muito interessante para o desfile. O treino foi mais rigoroso com todos os diretores atentos a cada passo dos componentes e visando sanar qualquer deslize no andamento ou questão fora cronograma. O trabalho realizado está muito profissional e sincronizado, fazendo com que se passe muita segurança aos componentes, que também estão realizando sua parte com excelência. A animação de cada caxiense é contagiante, os ensaios tem sido alegres com muito samba no pé, braços para o alto, gingas e sorrisos no rosto, criando o clima perfeito para um carnaval leve e muito alegre.

A escola possui uma direção de harmonia com cinco profissionais responsáveis por coordenar este setor, que são Cleiton, Andrézinho Jeferson, Kaká e Hélinho. Todos afirmam que a exigência natural do cargo não os permite dizer que já estão prontos, que cada ensaio é para evolução e aprimoramento e o próximo sendo sempre melhor, mas afirmam que na Avenida estarão prontos.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

O primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira da Acadêmicos do Grande Rio, Daniel Werneck e Taciana Couto, está radiante. Mostraram que nesta reta final os ensaios são minuciosos e os detalhes devem ser acertados a cada treino, e foram. O que faltava em Taciana era a leveza que já conquistou junto de seu parceiro Daniel, o entrosamento entre ambos é bonito de ver e leve através de uma coreografia já bem afiada, menos teatral mas com os passos entrosados com a letra do samba, fácil de perceber e identificar. O casal faz aulas de ballet no Theatro Municipal, talvez este tenha sido o toque diferencial na técnica e leveza alcançadas por eles.

Os guardiões que ficam envolta do casal, também terão um papel dentro da coreografia, eles ficam grande parte da coreografia curvados, batendo leves palmas e com pratos nas mãos, interessante de se esperar e os palpites do que será são inúmeros. No mais, o jovem casal vem conquistando um espaço no meio com muito trabalho, técnica e um entrosamento certo que reúne agilidade, carisma, técnica e a leveza conquistada. Claro que o trajetória para eles é longa, mas o caminho é certo, com muito trabalho, a tendência é crescer.

Bateria

A Invocada de mestre Fafá segue crescendo para se afirmar com uma bateria de personalidade, a construção é de ano em ano e reforçada nos detalhes. Desde 2019 o trabalho foi de resgate, organização, adequação de andamento e reforço do trabalho dos que são ‘de casa’. Os diretores de cada naipe merecem destaque pela qualidade e trabalho minucioso que vem realizando nesta bateria, com o cuidado de elevar a cada ensaio o nível da Invocada, uma das baterias mais elogiadas e visadas dos últimos anos e meses. O que se viu foi uma bateria cheia, com cada naipe já bem encaixado, as caixas e marcações são excelentes e proporcionam um toque que casa perfeitamente com o samba, tanto em andamento como nas bossas, também muito criativas e bonitas, sem exageros.

Um dos melhores ensaios em nível de produtividade e execução até agora. A bateria está no nível certo, os detalhes finais estão sendo ajustados só para esperar a concretização na Avenida. Mestre Fafá conta ter tido um ótimo retorno deste ensaio, em que conseguiu sanar alguns pontos que faltavam e ajustar a equalização de sua bateria. Destaca ainda que as fantasias de seus ritmistas já começarão a ser entregues na próxima sexta-feira.

“Entramos na reta final, agora faltam somente dois ensaios para acabarmos a nossa temporada. E hoje eu posso dizer que foi um dos ensaios mais produtivos que tivemos, conseguimos acertar o que a gente mais queria, que é a equalização entre os instrumento, fazer com que todos os instrumentos se ouçam e que todos possam tocar em harmonia, na mesma equalização. Nossa comunidade abraçou a nossa ideia, a gente lançou uma pequena brincadeira da bateria, a hashtag ‘cantem por nós que pulsaremos por vocês’, a comunidade realmente está cantando pela gente e a nós tocando por eles. Lá da frente onde eu estava, analisei como um bom ensaio, às vezes eu até entro na bateria para analisar mais de perto., tivemos um número muito bom de ritmistas hoje. Nossas fantasias começam a ser entregues na sexta feira, nossos instrumentos de desfile já estão prontos, preparados e afinados. E agora é realizar esses dois ensaios que faltam, na terça-feira na quadra e o último na rua no domingo”, declarou.

Fafá fala ainda do trabalho realizado em 2020 do premiado ano de 2019 para a Invocada, das expectativas e do trabalho de resgate que a bateria e a diretoria vem desenvolvendo com a escola nessa temporada.

“Cada ano é um ano, a gente ganhou estandarte de ouro em 2019, foi um ano lindo profissionalmente para toda a nossa diretoria, um ano muito produtivo mas infelizmente a gente não podia viver só de 2019 e veio 2020. E com esse ano veio esse samba lindo, um resgate dessa alma da escola e um trabalho excepcional da harmonia, a escola está cantando como nunca se cantou. E espero que esse ano de 2020 seja de muita humildade, sabedoria para a bateria e que possamos contribuir para a conquista do título da escola. Os prêmios são bacanas, engrandecem o trabalho mas temos que sonhar com o título, já tivemos aqui na direção de bateria Ciça, Odilon, Thiago Diogo grandes mestres consagrados que fizeram um grande trabalho, mas o sonho de todo mundo é o título que ainda não veio. Então se eu e a minha diretoria que é tão jovem conseguirmos esse título juntamente com a escola será a coroação de uma trabalho de resgate que tem sido feito e que eu espero ser bem avaliado assim como que todos possam gostar e curtir muito na Sapucaí”, conta.

Comentários