As escolas de samba ainda não receberam a verba destinada pelo Estado para o trabalho no programa de auxílio emergencial SuperaRJ. A informação foi divulgada neste sábado, na coluna do jornal Ancelmo Gois, em O Globo.

Foto: Divulgação/Governo do Estado

Para montar a estrutura do SuperaRJ em suas quadras as escolas de samba vão receber R$ 150 mil (cada). Elas organizaram a distribuição dos cartões do auxílio. “Todas abriram suas quadras e mobilizaram trabalhadores para a tarefa. Mas, até agora, o governador Cláudio Castro não pagou a nenhuma delas”, diz trecho da nota publicado em O Globo.

Cláudio Castro falou da parceria com todas escolas de samba. O programa SuperaRJ foi criado pelo Estado e a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). “É um simbolismo distribuir os cartões nas escolas de samba, que representam o povo. É uma grande parceria pelo bem do nosso estado. Além disso, cada agremiação vai receber R$ 150 mil para que disponibilizem sua estrutura e pessoal. É um dinheiro fundamental para esse setor tão afetado durante a pandemia”, ressaltou o governador, quando lançou o programa.

Nesta primeira etapa de pagamento do auxílio emergencial, cerca de 42 mil famílias fluminenses inscritas no CadÚnico, do Governo Federal, estão sendo beneficiadas com R$ 200 cada, com acréscimo de R$ 50 por filho, limitado a dois menores. Ao todo, 355 mil famílias serão beneficiadas nos 92 municípios do Estado, o que representa algo em torno de 1,4 milhão de pessoas, que terão direito ao benefício e que será pago até dezembro deste ano.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.