A Lierj define nesta terça a ordem de desfiles da Série A para o Carnaval 2020. E dentre as 12 escolas que vão ver a sorte ser lançada na sede da entidade, todas precisarão lutar contra um tabu muito incômodo desde que os desfiles do acesso passaram a acontecer em duas noites, a partir de 2013, quando a Lierj foi criada.

Desde então nenhum desfile que aconteceu na sexta-feira de carnaval conseguiu convencer o corpo de jurados e sair consagrado campeão na quarta-feira de cinzas. Em sete carnavais organizados pela Lierj, sempre a campeã desfilou no sábado de carnaval.

Ao longo destes sete anos em que organiza os desfiles do principal grupo de acesso do carnaval carioca, a Lierj precisou fazer gradualmente uma redução no número de escolas desfilantes, afinal em 2013, devido à junção dos antigos grupos A e B, eram 19 agremiações no desfile inaugural. Por conta disso o desfile campeão do Império da Tijuca, o primeiro da Lierj, foi como a sétima escola do sábado de carnaval.

Viradouro e Estácio são as únicas escolas campeãs da Série A mais de uma vez. A vermelha e branca de Niterói venceu em 2014 como a quinta de sábado e em 2018 como a quarta. A Estácio é a única até hoje que foi campeã encerrando o carnaval, em 2015. Neste ano novo título, como terceira da segunda noite.

Outras duas agremiações conquistaram o título da Série A desfilando no sábado de carnaval. Em 2016, a Paraíso do Tuiuti, ganhou como a segunda de sábado, até hoje o desfile mais cedo a ser campeão do grupo. E no ano seguinte o Império Serrano triunfou sendo a quarta da segunda noite. Essa aliás é a posição de desfile mais campeã da Série A, duas vezes. Nenhuma outra se repetiu.

Para o diretor de carnaval da Lierj, Cícero Costa, o fato de nenhum título ainda ter saído na sexta-feira é devido a dois fatores principais. O primeiro é o comparativo de notas entre os julgadores. O segundo é a dificuldade de locomoção pelo Rio de Janeiro em um dia ainda útil, com o trânsito complicado, principalmente para as escolas oriundas da Zona Oeste.

“Eu acredito que seja pelo comparativo de notas. Na primeira noite o julgador aguarda um pouco para as melhores notas. Mas a escola que quer ganhar mesmo tem que enfrentar isso e fazer um grande trabalho. A sexta atrapalha um pouco na questão logística, é complicado o deslocamento dos desfilantes. É um dia útil, as pessoas trabalham, a cidade fica tumultuada, devido às saídas do feriado. Quem vem da Avenida Brasil sofre muito”, explica.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui