As escolas do Grupo Especial e Série Ouro cumprindo suas funções sociais foram escolhidas pelo Governo do Estado para integrarem o programa SuperaRJ, criado pela Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) para o combate a pobreza durante a crise causada pela pandemia da Covid-19. Serão mais de 800 pessoas das escolas de samba envolvidas e que vão ser remuneradas para trabalharem na produção dos cartões de benefício. Pela parceira com o governo estadual, cada escola de samba receberá R$ 150 mil para desenvolver o programa em sua quadra de ensaios.

“Sabemos da importância deste projeto. Não poderíamos estar distante neste momento. Todas as escolas de samba estão de portas abertas para recebermos esse projeto. O carnaval é uma das coisas mais importantes dessa cidade. Parabéns ao presidente do Salgueiro por abrir a sua quadra. Torcemos muito para que iniciativas como essas alcancem o carnaval”, afirmou Jorge Perlingeiro, presidente da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa).

O governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, esteve no lançamento oficial na manhã desta quarta-feira, na quadra do Salgueiro, e falou sobre a integração com todas escolas de samba.

“É muito significativo lançar um projeto desse em uma escola de samba. Além de representar arte e alegria, elas representam a voz de várias comunidades. Esta parceria entre o executivo e o legislativo é que a população precisa. De várias conversas tivemos esse projeto de lei que foi aprovado por unanimidade. Não a meta maior que atender o nosso povo. Eu tenho dito sempre que temos duas tristes faces: à saúde, onde as pessoas estão sofrendo; e a pobreza. As pessoas estão com fome e sem renda. A principal meta do Supera Rio é trazer dignidade a essas pessoas”, afirmou o governador do Rio.

Presidente da Liga-RJ, que comanda a Série Ouro, Wallace Palhares, também representou todas 15 agremiações que desfilam na sexta e sábado de carnaval.

“É importante enxergar esse momento para o cidadão fluminense, que passa por extrema dificuldade. Primeiro pela saúde e depois também pela falta de emprego, é um momento delicado. Precisamos envolver o pessoal do samba como costureiras, autônomos do carnaval e isso é importantíssimo nesse momento. Agradecendo muito pelo olhar aos menos favorecidos”, afirmou Wallace.

Saiba mais sobre o SuperaRJ

– Serão beneficiadas mais de 355 mil famílias, cerca de R$ 1,4 milhão de pessoas que vivem na pobreza e extrema pobreza e que perderam os empregos durante a pandemia;

– Previsão inicial de investimento de mais de R$ 86 milhões por mês;

– O auxílio é de R$ 200 com acréscimo de R$ 50 para cada filho, limitado a dois menores;

– Micro e pequenos empreendedores também serão contemplados com financiamentos no valor de até R$ 50 mil;

– As inscrições já podem ser feitas no site www.superarj.rj.gov.br

– Dúvidas podem ser tiradas pelo Call Center: 0800 071 7474;

Quem pode receber o auxílio?

– Inscritos no Cadastro Único de Programas Sociais (CadÚnico) nas faixas de pobreza e extrema pobreza;

– Pessoas com renda familiar per capita igual ou inferior a R$ 178;

– Morador do Estado do Rio de Janeiro;

– Maior de 18 anos, exceto no caso de mães adolescentes;

– Desempregado pode solicitar o benefício no mês inferior à última parcela do seguro-desemprego, caso se enquadre nas demais exigências;

– Quem perdeu o emprego formal, com salário de até R$ 1501, a partir de 13 de março de 2020, sem fonte de renda.

Quem não pode receber o auxílio?

– Beneficiários do Bolsa Família ou de qualuqe auxílio emergencial federal ou municipal;

– Quem recebe benefícios previdenciários, assistenciais ou trabalhistas, como pensão, aposentadoria e seguro-desemprego;

– Pessoas com renda, no ano de 2020, igual ou superior a R$ 28.559,70.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.