As doze escolas de samba do Grupo Especial vão receber entre fevereiro e março um apoio financeiro do governo estadual do Rio de Janeiro. A confirmação foi dada ao CARNAVALESCO pelo deputado estadual e ex-presidente da Mangueira, Chiquinho da Mangueira.

Pela Lei Aldir Blanc, as escolas Mocidade, Viradouro, Beija-Flor e Grande Rio foram contempladas. Cada receberá ainda em fevereiro o valor de R$ 150 mil. As demais oito escolas vão ganhar o mesmo valor, mas que sairá do Fundo Estadual de Cultura (FEC).

“Levei o presidente Jorge Castanheira (Liesa) para uma reunião com a secretária de Cultura, Danielle Barros, e depois todos nós estivemos reunidos com o governador Cláudio Castro. As oito escolas que ficaram fora da Lei Aldir Blanc vão receber o mesmo valor pelo Fundo Estadual de Cultura. Com a abertura do orçamento, a previsão de pagamento é para segunda quinzena de março. Foi um golaço. A cadeia produtiva do carnaval está em uma situação muito delicada. É um plano emergencial de socorro às escolas de samba e aos seus profissionais que se encontram sem o seu meio de sustento. A indústria de carnaval gera milhares de empregos diretos e indiretos”, disse Chiquinho ao CARNAVALESCO.

Segundo Chiquinho, as escolas devem fazer lives com o valor recebido, mas também será para pagar suas equipes de funcionários/colaboradores. O deputado citou também que o prefeito Eduardo Paes lançará um projeto para ajudar o carnaval das escolas de samba, como fez com os blocos.

“Tenho certeza que o prefeito apresentará um grande projeto nos próximos dias. Ele é altamente comprometido com o carnaval. Ficamos quatro abandonados pela Prefeitura do Rio. Agora, o Eduardo sabe e reconhecer a importância das escolas de samba”.

Deputado Chiquinho da Mangueira e o presidente da Liesa acertaram o apoio com o governador Cláudio Castro

O deputado falou também sobre o interesse do governador Cláudio Castro em ajudar o carnaval das escolas de samba. Chiquinho lembrou que nos dois últimos carnavais (2019 e 2020) o apoio do governo estadual foi fundamental.

“O Estado, no momento mais difícil do carnaval, nos ajudou por dois anos seguidos. A promessa é que isso vai seguir. O governador está muito empenhado em conseguir uma empresa que possa usar a Lei do ICMS para apoiar todas escolas de samba e assim termos condições de tocar os projetos desde o mês de agosto”.

Sobre o projeto de um carnaval fora de época, anualmente, para o mês de julho, Chiquinho disse gostar da ideia, mas que é preciso entender como chegará o recurso.

“O governador acha uma boa ideia. Acho que para existir tem que ter receita. De onde virá o recurso?”, questionou.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.