A Portela é uma das escolas de samba referência na área social e de marketing. Durante a pandemia da Covid-19, a maior campeã do carnaval carioca, criou o projeto Águia Solidária que já distribuiu mais de 1800 cestas básicas para comunidade, tudo coordenado pelo Departamento de Cidadania.

Os portelenses também foram rápidos e adotaram critérios para os pagamentos dos funcionários que trabalham na quadra e no barracão. Fábio Pavão, vice-presidente, explicou o que foi feito.

“Estabelecemos três critérios. Priorizamos os funcionários de baixa renda e que tinham como única fonte de renda o trabalho na escola. Fizemos o programa do governo com redução da jornada de trabalho e 70% do salário sendo pago pelo federal e 30% pela escola. Usamos os critérios e analisamos caso a caso para não sermos injustos”, disse.

A escola também ativou fontes de renda. O programa sociosdaportela.com.br está com adesão a partir de R$ 8,90 mensais com várias opções de prêmios no clube de vantagens.

Também foi lançada a camisa do enredo para o próximo carnaval (pode ser comprada em www.lojadaportela.com.br), além de uma caipirinha chamada Portela.

Sempre renascendo, a Águia prova a cada dia que a escola de samba vai muito além do desfile na Marquês de Sapucaí.

  • Texto da coluna Espaço do Sambista publicada toda sexta-feira no jornal MEIA HORA
Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui