Recém-eleito presidente da Beija-Flor de Nilópolis, Almir Reis está ciente da responsabilidade de comandar a azul e branco, uma das maiores potências do carnaval do Rio de Janeiro. Em entrevista ao site CARNAVALESCO, o dirigente resumiu o sentimento de receber a missão de conduzir os rumos da escola.

Almir Reis é o presidente da Beija-Flor. Foto: Magaiver Fernandes

“É uma responsabilidade grande e que tira o sono de qualquer um. Porém, aqui na Beija-Flor, nós trabalhamos em equipe na escola e cada um sempre ajudando ao outro. Desde o patrono ao porteiro, todo mundo estende a mão e aí fica mais fácil. Nosso time é número um. Torcemos e rezamos todos os dias para voltarmos nossa vida e botarmos nosso samba para funcionar. Pisar nesse solo é uma emoção inexplicável. Começamos e que sirva de exemplo para outras coirmãs. Torcer para todo mundo se vacinar o mais rápido possível e podermos abrir totalmente nossa quadra, porque atualmente só podemos 40% da capacidade”, disse.

Perguntado sobre a atuação de Gabriel David, filho do patrono da Beija-Flor (Anísio Abraão David), na direção de marketing da Liesa, Almir Reis rasgou elogios para o jovem.

“Na Liga, ele não está fazendo nada que a gente já não esperava. Ele está seguindo tudo o que o pai fez e faz até hoje no carnaval. A nova Liga já conseguiu uma grande vitória. O contrato de quatro anos com a Prefeitura do Rio. Não vamos mais precisar esperar como nos anos anteriores. Foi uma vitória para o samba. Quando se afastou da Beija-Flor para seguir na Liesa, ele só me pediu para cuidar bem da escola”.

Sobre o enredo “Empretecer o pensamento é ouvir a voz da Beija-Flor” para o Carnaval de 2022, o presidente nilopolitano falou: “A Beija-Flor e o carnaval sempre mandam mensagens. Está na hora de acabarmos com essa diferença de cor e dar um basta”.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.