A primeira escola a desfilar na noite das campeãs deste sábado foi a verde e rosa do morro de Mangueira. Mais uma vez os presentes foram agraciados com um belo conjunto plástico elaborado por Leandro Vieira. Nos carros, alegorias levavam para o povo o “Jesus da gente”. Nas fantasias, um colorido já característico do artista.

As mesmas fantasias que impactaram e chocaram, causaram polêmica. Não por mostrar um Cristo de diversas faces. Mas sim pela ausência de um ponto específico, exigido por sambistas. Em comum acordo com Leandro Vieira, Evelyn Bastos – rainha do samba no pé – foi agraciada para vestir a fantasia do próprio homenageado: Jesus Cristo. Porém, teria que abdicar do seu tradicional samba no pé que conquista de setor 1 a dispersão. A respeito disso, Evelyn desabafou.

“A religião hoje em dia está ultrapassando a fé de muita gente. Tenho muito cuidado pra falar que sou muito mais uma mulher de fé do que religiosa. Tive toda uma preparação antes, sempre com muito respeito a absolutamente todas religiões. Até mesmo quem pensa diferente da gente. Foi um desfile mais complexo, porque precisei abdicar de sambar. Muita gente falou disso. Pra nós, sambistas, o ato de sambar é muito cultura. Mas pra quem assiste Jesus Cristo vestido numa mulher, talvez, o ato de sambar ainda seja sexualizado. Infelizmente”, disse a rainha.

A Estação Primeira de Mangueira terminou o carnaval 2020 na 6ª colocação, com 268,9 pontos.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui