Do samba, da comunidade e exemplo de ser humano. Assim, Evelyn Bastos, rainha de bateria da Estação Primeira de Mangueira, conquistou os sambistas e saiu vencedora na categoria “Representatividade em 2020”. Durante a festa de premiação, domingo, na quadra da Portela, ela exaltou a liberdade dada pela Verde e Rosa.

“Agradeço ao CARNAVALESCO por essa oportunidade. Agradeço a Estação Primeira de Mangueira por me dar liberdade. Lá, a gente tem liberdade para fazer nosso trabalho. A escola me permite externar conceitos que a própria agremiação me ensinou. Resumo o lugar que nasci (Morro da Mangueira) um lugar de resistência e resiliência. Esse presente que o CARNAVALESCO está me dando é uma resposta, abraço e carinho de siga em frente”.

Emocionada, Evelyn citou o quão é importante ser rainha de bateria da Mangueira e poder se posicionar dentro de assuntos fundamentais da sociedade.

“O cargo de rainha de bateria tem mulheres lindas, com corpos lindos, que fazem movimentos rítmicos que são automaticamente ligados para sensualidade, e, eu escolhi fazer desse meu corpo um corpo de protesto. Esteja ele seminu ou vestido de Jesus mulher. Nessa identidade, eu me coloco em um lugar de extrema fragilidade, que é de mulher preta e de origem humildade. É um lugar coletivo. Poder ser uma rainha de bateria que pode fazer seu trabalho dentro de uma agremiação gigantesca é um grande presente. A nossa cultura tem que permanecer sendo respeitada”.

Veja a festa de premiação na íntegra:

Comentários