Fábio Pavão, vice-presidente da Portela, representou a escola na eleição presidencial da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa), e conversou com o site CARNAVALESCO a respeito do resultado da eleição que sagrou Jorge Perlingeiro como novo mandatário.

“O trabalho que está começando agora na Liesa é dentro de um universo muito difícil. Um ano sem carnaval e repleto de incertezas. A gente espera a continuidade do que foi positivo na gestão do Castanheira, que é um político nato, no melhor sentido da palavra. Com poder de conversar e estabelecer diálogos”, declarou.

Um dos alvos de críticas da última gestão sempre foi a ausência de projetos de marketing na Liga, e, principalmente, a ausência da entidade nas redes sociais. A respeito disso, Pavão afirma que isso é prioridade, segundo a nova diretoria.

“É preciso pensar principalmente naquilo que falta nesse momento, que é o marketing. A Liesa precisa de um projeto de marketing atuante, para aumentar as fontes de receitas e visibilidade das escolas de samba que é muito importante na sociedade atual. Também é necessário atrair um novo público. Claro que podemos pensar a partir do que é feito em São Paulo, mas diversas escolas aqui do Rio também fazem um trabalho muito bom. É preciso olhar de forma geral. Por exemplo, diversas escolas moldaram seu formato de sócio torcedor a partir do que é feito nos clubes de futebol. A Liga tem que olhar o mercado e como as empresas trabalham para adaptar a sua realidade”.

Pavão finalizou comentando que o principal desafio da nova gestão da Liga é antecipar as receitas da festa para que os barracões voltem a atividade, assim que for permitido pelas autoridades sanitárias.

“Para pensar em abrir os barracões da Cidade do Samba precisamos primeiro pensar na desinterdição feita pelo Corpo de Bombeiros. Isso é questão judicial. A diretoria da Liesa já estava em conversa com a prefeitura. A partir daí é necessário que se entre com recurso. O projeto de carnaval já está moldado, pois pensávamos em algo no meio do ano. Mas é necessário também trabalhar na antecipação das receitas, afinal, não houve carnaval em 2021. Agora estamos com tempo de fazer algo com calma, até para os trabalhadores da festa começarem efetivamente a entrar em atividade, a produção começa a partir do momento que tenha receita. Havia uma pressa nas disputas pois tinha possibilidade de realização do carnaval em julho. Como não vai acontecer, temos que aguardar. Há expectativa é que tenhamos lives da própria Liga. Mas não tem necessidade de ser feito agora. A diretoria assumiu e a partir das próximas semanas vai pensar a se organizar num novo calendário, que inclua as disputas de samba-enredo do próximo desfile”, concluiu.

Comentários