Primeira escola a gravar no último sábado (6), a Pérola Negra foi a que mais sofreu com o sol e o calor na tenda. Mesmo com a adversidade, a escola desempenhou um ótimo papel e contagiou o clima da gravação.

A Bateria Swing da Mada ousou nas bossas durante o samba e alusivo. A batucada optou por paradinhas entre naipes e variação de arranjos de caixa na virada pra segunda estrofe. Em conversa ao CARNAVALESCO, o Mestre Fernando Neninho comentou sobre sensação ao gravar e revelou pressão dentro de casa com ausência de bossas. * VEJA AQUI AS FOTOS DA GRAVAÇÃO

“Terceiro ano consecutivo a bateria do Pérola gravando ao vivo. Nos primeiros anos tive que trazer o resultado pra escola, e conseguimos graças a Deus, até então que subimos. Agora o trabalho está ficando da forma que a gente sempre imaginou, num ambiente que a gente já estava acostumando. Gravamos da maneira que imaginamos e foi bem bacana. O andamento nosso é 144, e a nossa característica é paradinha e bossa. Se não fazer, eu tenho uma pressão dentro de casa, meu pai me cobra. Fizemos uma bossa em homenagem a povo cigano também e uma paradinha no final só pra gente mostrar nossa característica, trabalhada no contratempo, os naipes conversando”.

O intérprete Daniel Collete esteve presente nas orientações ao coral, contribuindo para a animação dos componentes. O cantor contou como foi a impressão após o processo de gravação.

“Foi sensacional. A comunidade daquele jeito, a diretoria vem resgatando a comunidade do Pérola Negra. O pessoal se entregou muito, são 11 horas da manhã num sol pra cada um, mas todos cantaram com alegria, foi show de bola. O tom foi cantando em Sol menor”.

Comentários