Arriscando-se em novos mares, o casal Renato e Márcia Lage, apresentaram o enredo “Guajupiá: terra sem males”. Simplesmente na maior campeã do carnaval carioca, a Portela. Com muitos elementos e referências a linguagem Tupi, a escola escolheu a ala das baianas para representar “o mar semelhante à baía ou baia-mar”.

Numa fantasia predominantemente em tons azuis e com muitas plumas, as baianas estavam com uma faixa azulada com diversas formas, trazendo movimento e brilho durante a apresentação. Na parte da cabeça, penas com a coloração em azul claro, realçaram a parte de movimentação quando as baianas realizavam os giros em determinados pontos da música. A indumentária foi uma das mais pesadas segundo o relato de algumas componentes.

Eliane Cuevas, que completou 10 anos desfilando pela azul e branca, comentou que adora a energia que um desfile de escola de samba proporciona.

“Estou há 10 anos desfilando e é sempre uma boa energia. A fantasia esse ano estava ótima e super fácil para girar. A presidente da nossa ala também é super atenciosa e isso ajuda muito. Super confortável mesmo”, confirmou Eliane.

Os comentários dos espectadores foram extremamente positivos principalmente em relação a força que o azul teve ainda mais em conjunto com outras alas que compunham muito bem a evolução da escola. Classificando o primeiro setor com o verdadeiro intuito proposto pelo casal de carnavalescos, “Baia de Guanabara, nosso Guajupiá”

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui