Fantasias do Tuiuti foram inspiradas no artesanato cearense

1126

Cenário do enredo do Paraíso do Tuiuti para o ano que vem, o Ceará estará enraizado nas fantasias da agremiação. O carnavalesco Jack Vasconcelos se inspirou no artesanato do estado nordestino para criar alguns figurinos da atual vice-campeã do carnaval carioca. Nos chapéus ou nas saias, será possível perceber o bordado característico cearense.

– Vou ter uma ala, por exemplo, que é feita basicamente de tapetes. Esses tapetes de casa mesmo. Durante meu trabalho de pesquisa para o enredo, eu vi artigos bem artesanais que poderiam facilmente virar fantasia para a Sapucaí. As pessoas podem esperar um capricho ainda maior nesses figurinos – resumiu Jack.

O artista, que segue para o quinto desfile consecutivo na azul e amarelo, destacou que o estilo adotado nas roupas reflete mesmo a identidade cearense. Ou seja, o uso de materiais alternativos enriquece a fantasia.

– A gente sempre busca inovar com materiais diferentes. Estou usando como referência o artesanato cearense porque ele cabe no desfile. O material até pode ser mais barato, mas o trabalho de confecção dela é muito maior – explica.

Venda de fantasias

Apesar de não possuir nenhuma ala comercial, o Tuiuti começou a vender fantasias para interessados em desfilar. O número exato de vagas não foi divulgado pela agremiação, mas a escola estima vender apenas 10% de todo o contingente de componentes. As roupas têm preço único de R$ 990.

Quem tiver interesse, pode entrar em contato no telefone (21) 97690-8706. O diretor responsável é o Jorge Amarelloh.

– Temos muitas pessoas de outras cidades, estados e até países, que gostam de desfilar com a gente. Por isso, destinamos algumas fantasias para venda – afirma Renato Thor, presidente do Tuiuti.

No ano que vem, a Tuiuti desfilará com enredo “O salvador da pátria”. O tema narra a trajetória do bode Ioiô, famoso personagem cearense que, reza a lenda, chegou a ser eleito vereador de Fortaleza. A escola será a quinta a desfilar na segunda-feira de Carnaval.

 

 

Comentários