A Acadêmicos do Sossego abriu o seu desfile no carnaval de 2020 com um imponente abre-alas, um dos maiores da escola desde que chegou a Série A, em 2017. Todo em azul e com várias esculturas de animais marinhos, além de seres mitológicos que habitam nas profundezas dos oceanos, a alegoria retratava o reino de encantado de Olokun, orixá considerado senhor dos mares.

Porém, quem viu o resultado na Avenida não pode sequer imaginar que o carro, assim como o desfile como um todo, foi feito em apenas 13 dias. Esse foi o tempo que a dupla de carnavalescos Guilherme Diniz e Rodrigo Marques teve, a partir da contratação, para executar o trabalho.

“Nós pegamos o enredo pronto e houve um tempo mínimo de entender o que estava sendo proposto. Eu entendo o enredo da seguinte forma: acaba sendo uma homenagem indireta ao grupo percussivo chamado Tambores de Olokun, que é um grupo carioca que tem duas representações. A primeira é a questão do maracatu, que está no DNA deles quanto a cores e estética; a segunda é a questão da percussão, do ritmo, do batuque, ligada a religião, ao Candomblé. Então, a gente começa com Olokun, que é um orixá pouco difundido. Costumo brincar que no ano passado, em nosso carnaval na Ponte, a gente homenageou todos os orixás, mas não citamos Olokun, que ao mesmo tempo seria pai e mãe de Iemanjá. Acho que ele convidou a gente para falar um pouquinho sobre ele”, revelou Rodrigo Marques em conversa com a reportagem do site CARNAVALESCO, poucos minutos antes do início do desfile.

Apesar de a alegoria apresentar algumas falhas de acabamento, Rodrigo se diz contente com o resultado final do abre-alas. Para o artista, diante das circunstâncias enfrentadas, o saldo foi positivo.

“Geralmente a gente tem uma expectativa muito grande, mas eu sou realista. Dentro da dificuldade, nem na questão de dinheiro, mas de tempo de execução, eu estou satisfeito. Lógico que eu queria e nós seriamos capazes de melhorar ainda mais”, desabafou Marques.

Segundo o artista, o carnaval apresentado, mesmo feito às pressas, é superior aos anteriores da agremiação niteroiense no grupo. Tanto que Rodrigo aposta em uma quarta-feira de cinzas mais tranquila para a escola, sem riscos de rebaixamento.

“Acredito que a gente vá conseguir obter uma colocação superior, o que já seria uma vitória pra todos. Eu penso muito em etapas. Hoje a escola está postulando uma coisa e a Sossego precisa subir um pouco o degrau para, em breve, estar disputando o título. Eu tenho certeza que a escola tem condições para isso”, afirmou.

Comentários