A Unidos da Tijuca foi a quarta escola a desfilar no segundo dia do Grupo Especial, com o “Waranã – A reexistência vermelha”, contando o mito de surgimento da etnia Mawé – os filhos do guaraná, os peles vermelhas do Brasil. A escola narrou a formação do guaraná a partir da saga de Kahu’ê, o inocente curumim, cuja presença breve sobre o plano terreno se dá em face das disputas das forças cósmicas e do embate entre Tupana (o bem) e Yurupari (o mal). A agremiação cometeu alguns erros de evolução que podem prejudicar na classificação, mas o canto forte da comunidade e bateria deram conta do recado. A comissão de frente dirigida por Sérgio Lobato representou “A reexistência vermelha” e emocionou o público.

Foto: Site CARNAVALESCO

“Foi muito bom. Claro que a gente sempre busca a excelência, mas deu para curtir o momento, curtir esse retorno. Foi um receptividade muito boa do público”, declarou Sérgio Lobato, para o site CARNAVALESCO.

No pré-carnaval, a Unidos da Tijuca foi alvo de muitas críticas, mas trabalharam em silêncio e apresentaram um trabalho muito bem executado. O diretor de carnaval, Fernando comentou sobre os julgamentos feitos durante o processo de construção do desfile.

Foto: Site CARNAVALESCO

“É difícil a gente ter a visão de tudo, mas pelo que estavam falando, parece que foi tudo certo. A evolução, o andamento do samba. Esse samba pedia alegria e foi isso que vimos. De tudo que foi falado contra a gente, que a Tijuca não tinha nada, que o barracão tava vazio, que não tinha pagamento, que estava todo mundo em briga, e está aí o resultado. Cutucaram onça com vara curta”.

Casagrande é um dos maiores Mestres do carnaval do Rio de Janeiro. A frente da bateria “Pura Cadência”, fez mais uma apresentação para ninguém colocar defeito. As execuções das paradinhas nos módulos de julgadores foram muito bem realizadas. Ao fim do desfile, fez um desabafo sobre tudo o que falaram da escola.

“Falaram muito da nossa escola, a gente aguentou muita coisa, foi covardia o que fizeram com a gente nas redes sociais e foi aquilo que falei: ‘Carnaval é decidido na avenida’. Escola compacta, visual colorido, proposta diferente do enredo e funcionou. Fizemos um grande desfile”.

Foto: Site CARNAVALESCO

A mente responsável por criar o desfile da Unidos da Tijuca foi de Jack Vasconcelos. Com um bom trabalho de fantasias e alegorias, declarou que imaginava que o trabalho pudesse causar um certo estranhamento, mas que estava muito satisfeito com o resultado.

“Só vi o final, mas parece que o pessoal gostou. A gente teve uma proposta de estética muito arrojada. A gente que estava trabalhando sabia que podia causar um certo estranhamento, mas a gente apostava muito no desfile. Quero muito estar aqui sábado”.

 

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.