A Unidos do Viradouro foi um dos grandes destaques e está firme na briga pelo bicampeonato. A escola levou para avenida o enredo “Não há tristeza que pode suportar tanta alegria”, com a intenção de fazer paralelo entre o carnaval de 1919, com foliões celebrando o fim da gripe espanhola, e o carnaval de 2022, o primeiro após a pandemia da Covid-19. A agremiação apresentou alegorias imponentes e lindas fantasias. Em entrevista ao site CARNAVALESCO, Tarcísio Zanon e Marcus Ferreira responsáveis pela criação falaram a resposta e interação que tiveram com o público.

Foto: Site CARNAVALESCO

“Foi um trabalho árduo com toda essa equipe maravilhosa e a gente sentiu que as pessoas corresponderam muito bem a tudo aquilo que a gente planejou de construir esse enredo que dialoga com a atualidade e fala do amor pelo carnaval e a saudade que estávamos sentindo. A gente tinha certeza que esse samba se encaixava perfeitamente em tudo que a gente estava planejando visualmente e tudo casou”, disse o carnavalesco Tarcísio Zanon.

“Durante a passagem na pista nós vimos que as pessoas estavam emocionadas e cumprimos nosso papel de maneira muito feliz dentro daquilo que planejamos. Agora é aguardar terça-feira”, declarou Marcus Ferreira.

A comissão de frente chamou muita atenção de todos que estavam na Sapucaí. Coreografada e dirigida por Alex Neoral e Marcio Jahú, a comissão “E o mundo não se acabou” tinha pierrô com um dos personagens, figura ilustrativa do espírito folião carioca.

Foto: Site CARNAVALESCO

“A gente veio falando da gripe espanhola, tentando satirizar esse mal do século e foi quem parecido com o que vivemos, mas terminando com a alegria do carnaval. A gente nunca sabe o que vai acontecer, mas foi muito satisfatório, demos conta do recado e levantamos a plateia”, declarou o coreógrafo Alex Neoral.

O presidente da Viradouro, Marcelinho Calil, e o diretor de carnaval, Alex Fab, comentaram sobre o quanto é difícil e trabalhoso colocar um belo carnaval na avenida, mas acreditam que a escola deu conta do recado e está firme na briga pelo bicampeonato.

Foto: Site CARNAVALESCO

“A escola provou que os trabalhos que ela faz durante o ano todo fazem muita diferença. A gente se doou bastante e colocou nosso melhor”, declarou Alex Fab.

“Fizemos o nosso papel. Não consegui ver tudo, mas pelo que senti, fizemos um bom desfile. Esse último ciclo foi um pouco diferente do normal, exigiu das escolas remodelar planejamento, remodelar uma série de coisas, mas obviamente que foi para o bem de todos. Agora, todo mundo vacinado já pôde curtir a avenida. Ao meu ver, dizemos um espetáculo na avenida e espero que seja refletido na terça-feira”, disse Marcelinho Calil.

Comentários