O Paraíso do Tuiuti foi a primeira escola a desfilar no segundo dia do Grupo Especial e a expectativa para ver o que queriam apresentar era bem grande. Com o enredo Ka Ríba Tí Ye – “Que nossos caminhos se abram”, a agremiação teve muitos problemas durante a apresentação. Vários buracos foram vistos durante a apresentação em frente aos módulos julgadores e na tentativa de não estourar o tempo, a escola precisou correr bastante, mas não conseguiu e perdeu dois décimos por ter estourado o tempo limite em dois minutos. Mas ainda assim, o Tuiuti teve pontos que merecem destaque, como a comissão de frente e o casal de mestre-sala e porta-bandeira.

Foto: Site CARNAVALESCO

Em entrevista para o site CARNAVALESCO, a coreógrafa Cláudia Mota falou sobre a comissão de frente, que foi composta por 15 homens que fizeram uma representação do momento de criação do homem na terra, ordem de Olodumarê a Oxalá, que teve dificuldades para realizar o pedido.

“Deu tudo certo. Nós ensaiamos muito para isso. Foram muitas coisas, muita demanda, muitos detalhes de dança. Me surpreendi com todo elenco, apesar de muito esforço, de muito trabalho. Graças a minha equipe, ao Paulo Barros, a gente colocou a avenida para virar com a gente”, declarou Cláudia Mota.

Foto: Site CARNAVALESCO

O primeiro casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira, Raphael Rodrigues e Dandara Ventapane, veio representando Zumbi e Dandara dos Palmares, que simbolizavam a resistência e a força da ancestralidade africana. A dupla estava fazendo um belo desfile quando no terceiro módulo de jurado, Dandara esbarrou o pavilhão de forma leve em Raphael. Isso não entristeceu o casal, que terminaram a apresentação sorridentes.

“Foi uma emoção sem tamanho. Após o último jurado, eu desabei porque foi um misto de sentimentos. Foram dois anos sem carnaval, a gente lutando contra o racismo, contra o preconceito com o carnaval, muita gente queria que o carnaval acabasse, o engraçado é que essas pessoas que lutaram para o carnaval acabar, estão aqui curtindo. Então, esse carnaval estar acontecendo é uma vitória. É a nossa estreia como casal, nossa estreia na escola e a gente batalhou muito e deu tudo certo”, declarou Raphael Rodrigues.

“Pra mim foi um presente essa fantasia e vir de Dandara. É uma emoção muito grande e fiquei muito feliz que a gente conseguiu realizar tudo que a gente se propôs, que era dar o nosso melhor, o nosso máximo. Estamos felizes com o início da parceria”, disse Dandara.

Foto: Site CARNAVALESCO

O samba também merece destaque. Era possível ouvir os componentes e as arquibancadas cantando, principalmente o refrão. Celsinho Mody e o carro de som fizeram um ótimo trabalho conduzindo a escola com maestria pelo Sambódromo.

“Foi maravilhoso. Cantar no Paraíso do Tuiuti é um presente que Deus me deu. Agradeço ao presidente e serei sempre grato”, declarou Celsinho.

Comentários