Parceiro de trabalho e amigo pessoal de Laíla, o carnavalesco Fran-Sérgio esteve no velório do diretor de carnaval, na manhã deste sábado, no cemitério do Caju, na Zona Norte do Rio de Janeiro. Ao site CARNAVALESCO, ele citou a relação de quase pai e filho que tinha com Laíla.

“Minha relação com ele era como de um pai. Conheci ele quando comecei a trabalhar na Beija-Flor, como desenhista, em 1994. Ele sempre me incentivou, me projetou. Falava que eu tinha muito talento, que era da comunidade e tinha que crescer. É uma pessoa que merece todas homenagens. A gente se falava praticamente todos os dias”, disse.

Fran-Sérgio explicou que Laíla dava muito conselhos e atuava como mestre no barracão.

“Foi um grande professor e mestre. Mesmo com pulso forte, ele acrescentou muito. Fez mais de 60 anos de carnaval. Tem muita história. Os ensinamentos que deu para todos. O Laíla tem a assinatura dele na dedicação e compromisso. Ele ressaltava todas comunidades. Sempre foi um bandeira dele. O carnaval para ele tinha essa tarefa de ressaltar os mais pobres, como ele, que começou no Salgueiro”.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.