Parceiro de trabalho e amigo pessoal de Laíla, o carnavalesco Fran-Sérgio esteve no velório do diretor de carnaval, na manhã deste sábado, no cemitério do Caju, na Zona Norte do Rio de Janeiro. Ao site CARNAVALESCO, ele citou a relação de quase pai e filho que tinha com Laíla.

“Minha relação com ele era como de um pai. Conheci ele quando comecei a trabalhar na Beija-Flor, como desenhista, em 1994. Ele sempre me incentivou, me projetou. Falava que eu tinha muito talento, que era da comunidade e tinha que crescer. É uma pessoa que merece todas homenagens. A gente se falava praticamente todos os dias”, disse.

Fran-Sérgio explicou que Laíla dava muito conselhos e atuava como mestre no barracão.

“Foi um grande professor e mestre. Mesmo com pulso forte, ele acrescentou muito. Fez mais de 60 anos de carnaval. Tem muita história. Os ensinamentos que deu para todos. O Laíla tem a assinatura dele na dedicação e compromisso. Ele ressaltava todas comunidades. Sempre foi um bandeira dele. O carnaval para ele tinha essa tarefa de ressaltar os mais pobres, como ele, que começou no Salgueiro”.

Comentários