O governador em exercício do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, assinou na manhã desta quarta-feira de cinzas, no Palácio Guanabara, Zona Sul do Rio, o apoio para escolas de samba realizarem de forma virtual suas escolhas de samba para o Carnaval de 2022. Blocos e associações carnavalescas também foram contempladas.

Oito escolas de samba do Grupo Especial (Imperatriz, Mangueira, Salgueiro, São Clemente, Paraíso do Tuiuti, Portela, Unidos da Tijuca e Vila Isabel) receberão R$ 150 mil pelo Fundo Estadual de Cultura e vão se juntar com as demais quatro (Beija-Flor, Mocidade, Viradouro e Grande Rio) já beneficiadas com o mesmo valor pela Lei Aldir Blanc.

Em sua fala para os presentes, Cláudio Castro enalteceu o trabalho da secretaria de Cultura com a elaboração dos editais para apoiar o processo das escolhas de samba virtuais para o Carnaval de 2022.

“A Danielle (secretaria) tem olhado pela cultura o tempo inteiro. O que mais deixou me deixou aflito nesse carnaval foi cada emprego que não foi dado, cada pessoas que não trabalhou. A gente sabe que a indústria do carnaval não é feita só nos dias dos desfiles. Quando a Dani teve a ideia de pegar o dinheiro do ICMS e ajudar essas pessoas é o verdadeiro significado de olhar para cada pessoa que faz cultura. Não tenho dúvida que é a medida mais acertada. Com toda dificuldade que o Estado tem, a gente consegue ajudar, estamos preparando o carnaval do ano que vem, mas também um ano de solidariedade. O carnaval abriu de fazer aquilo que mais ama pensando no outro”.

Lives para escolhas dos sambas

A escolha dos sambas-enredo deve ser realizada em quatro etapas, todas com transmissão pela internet. As apresentações eliminatórias e as finais acontecem na Cidade do Samba, no Santo Cristo, por conta da boa infraestrutura e condições de acessibilidade, com respeito aos protocolos de segurança contra a Covid-19. As outras quatro agremiações da Liesa foram atendidas com recursos da Lei Aldir Blanc e contempladas com o mesmo valor.

Blocos

As apresentações dos blocos Sebastiana e Amigos do Zé Pereira, que se juntou ao Bola Preta, devem acontecer em uma casa de espetáculo em data a ser definida. Os shows, transmitidos pela internet, contarão também com público presente restrito, seguindo as regras de prevenção contra a Covid-19.

Castanheira agradece o apoio municipal e estadual

A secretaria de Cultura, Danielle Barros, citou o valor injetado na cultura do Rio de Janeiro.

“Foram mais de 1500 pessoas que puderem receber o auxílio emergencial. Mais de 104 milhões injetados na cultura do Estado do Rio. Estamos falando do maior espetáculo da terra, do povo que sabe fazer esse espetáculo acontecer. O recurso não foi possível atender todos no primeiro momento, era preciso fazer mais, o deputado Chiquinho foi lá na secretaria, o Jorginho (Liesa), Rita (Sebastiana) e aí conseguimos pautar o comitê gestor do Fundo Estadual de Cultura para atender aqueles que estava habilitados na Aldir Blanc, mas não puderam ser agraciados antes. O governador entende e sabe a necessidade de apoiar a arte e a cultura”, disse a secretaria de Cultura, Danielle Barros.

O presidente da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa), Jorge Castanheira, esteve presente e falou sobre o momento do carnaval.

“Hoje seria o ápice do carnaval com a apuração na quarta-feira de cinzas. Nossa palavra é de agradecimento por essa ajuda fundamental para nossas escolas. Estamos com a expectativa de colocar o cronograma do carnaval do Rio de Janeiro em ordem. Vamos comemorar dois anos dos desfiles em um ano só em 2022. Essa identidade cultural do carnaval precisa estar viva. Nos dois últimos anos (2019 e 2020) em que o governo estadual apoiou ele salvou nosso carnaval. Com o apoio demos o estímulo para começarmos a desenvolver os desfiles do ano que vem. Tenha certeza governador que cada valor investido no carnaval vai representar para todos geração de emprego, cidadania, dignidade, e, acima de tudo, respeito para nossa cultura”, afirmou Castanheira.

Comentários