O governador Cláudio Castro sancionou a Lei nº 9529, de autoria do deputado estadual Dionísio Lins (Progressistas), que torna o Império Serrano Patrimônio Imaterial e Cultural do Rio de Janeiro. Anteriormente, o então Projeto de Lei havia sido aprovado de maneira unânime pela Assembleia Legislativa, a Alerj.

Foto: Emerson Pereira/Divulgação Império Serrano

Segundo o deputado Dionísio Lins, a proposta é para resguardar a história do Reizinho de Madureira, uma das entidades carnavalescas mais tradicionais do país. Para o presidente Sandro Avelar, a sanção da lei é uma grande conquista:

“A aprovação do projeto que torna o Império Serrano Patrimônio Imaterial e Cultural do Rio de Janeiro é motivo de muita alegria para todos nós. Somos uma instituição grandiosa, com uma linda história e nomes importantes para a cultura popular brasileira. Estamos buscando transformar o Império novamente numa escola forte, competitiva e que corresponda à altura de suas tradições. Agradecemos ao deputado Dionísio Lins pela criação do projeto, ao plenário da Alerj pela aprovação por unanimidade e ao governador Cláudio Castro por sancionar a lei”, afirma Sandro.

O Império Serrano será a oitava escola a se apresentar no sábado de carnaval, 26 de fevereiro, na Marquês de Sapucaí, com o enredo “Mangangá”, de autoria do carnavalesco Leandro Vieira.

Comentários