A Grande Rio, atual vice-campeã do Grupo Especial do Rio de Janeiro, segue com sede de mostrar que vive uma nova fase e que o conjunto é o ponto forte para o desfile do ano que vem. O site CARNAVALESCO acompanhou o ensaio de canto e bateria, na quadra da tricolor de Duque de Caxias. O diretor de carnaval, Thiago Monteiro, explicou a dinâmica da escola.

“Começamos os ensaios de canto e bateria. A partir da primeira semana de dezembro, no dia 5, a gente começa os ensaios de rua e vamos até o desfile. Vamos com o mesmo número de componentes de 2020, com cinco carros alegóricos e dois tripés. Todo o trabalho que vem sendo feito na Grande Rio recebeu o reconhecimento do povo do carnaval. Estamos colhendo os frutos. O título é consequência de um bom trabalho. Essa questão de cobrança, possível escola postulante ao favoritismo, não é com a gente. Temos escolas em pé de igualdade e precisamos fazer o melhor trabalho das nossas vidas”.

Mestre Fafá promete mais um trabalho de excelência na bateria da Grande Rio. “Ainda temos muito que evoluir. Devagar, sem pressa, o samba passou por mudanças. Espero melhorar cada vez mais para repetir o sucesso que foi em 2020. Continuo com a mesma pegada. Aqui é proibido a bateria correr, independente do samba vamos tocar com o nosso andamento. Vamos levar quatro atabaques para Avenida e teremos em uma bossa a dobrada do surdo de terceira que está marcada no samba. Nosso trabalho agora ainda está nas partes técnicas. Provavelmente, o segundo ensaio de rua já estará com tudo pronto. Seguimos com a pegada que o menos é mais. Procuramos não “sujar” o samba, fazer apenas coisas pontuais para que a obra funcione na Avenida. É difícil conter a energia do ritimista, mas sempre procuro que todos toquem no mesmo volume, a mesma equalização. Isso é o que a gente mais preza em todos os instrumentos. Não tem mais o nome de bateria. Não tenho esse negócio. Acho que tem que prevalecer a escola, o pavilhão maior, não esquento a cabeça com isso. Algumas chamam de Invocada e outras de bateria da Grande Rio. Não sou ponto fora da curva, pode chamar de Invocada, sem problema, mas eu chamo de bateria da Grande Rio. O importante no final é o ritmo, o que prevalece”.

O casal de mestre-sala e porta-bandeira, Daniel e Taciana, revelou que prepara algo especial para o desfile.

“Estava sentindo falta do carinho e da proximidade da comunidade. Nossa expectativa está gigante para fazermos um grande carnaval. Terá algo especial, mas vamos aguardar. A gente gosta de unir o tradicional com algum diferencial. Vamos tentar encaixar isso dentro da coreografia, ainda será tema de muito estudo”.

“A comunidade abraçou nosso desfile em 2020. Até quem não é Grande Rio diz que quer desfilar com a gente pelo enredo e pelo samba. A gente está preparando uma surpresa para pista. Ainda não fechamos coreografia (risos). Procuramos sempre fazer um trabalho de excelência”, completou o mestre-sala.

Comandante do carro de som da Grande Rio, Evandro Malandro falou sobre a responsabilidade que a escola possui. “A gente absorve bem as responsabilidades. Conquistamos o lugar merecido com os sambistas. Sem tirar os méritos da Viradouro (campeã), a Grande Rio fez um desfile impactante. Esperamos repetir o trabalho de 2020 e quando chegar lá não tem que segurar a emoção. Fico muito feliz com o carinho que recebo. As pessoas vão ver como as coisas são vão melhorar a cada ensaio. Cantar esse samba de 2022 representa minha vida, meu dia a dia, o exu é que traz a energia, abre os caminhos e me acompanha em qualquer lugar que eu vá. De pouco em pouco, as pessoas estão entendendo como funciona, não é nada ruim, o enredo abre o leque para que todos possam pesquisar sobre exu”.

Veja fotos do ensaio da Grande Rio

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.