Por Gustavo Lima. Fotos: Felipe Araújo/Liga-SP

O Águia de Ouro realizou neste sábado seu primeiro ensaio técnico no Sambódromo do Anhembi para o carnaval de 2020. O treino contou com uma garoa no começo, mas depois parou. O quesito destaque foi a harmonia. A escola cantou com muita clareza e sincronismo, algo que é priorizado pela agremiação, seja em qualquer local que estejam ensaiando. Outro destaque foi o carro de som, que é formado por três intérpretes renomados no carnaval: Tinga, Douglinhas Aguiar e Darlan Alves. O trio se mostrou bem entrosado neste ensaio e todos tem seu momento certo de destaque dentro do samba.

“Sempre tem o que melhorar, foi um ensaio legal, mas não podemos nos deitar com a cabeça no travesseiro pensando que está ótimo, tem muita coisa pra gente correr atrás e melhorar, nós vamos ver se conseguimos fazer essa melhora pro próximo ensaio técnico. Sobre o canto, não é de hoje a maneira como a gente trabalha na quadra, o temos de forte é nossa comunidade. A chuva não atrapalhou em nada, e na verdade nós nunca fizemos um ano sem ter chuva, todo ano enfrentamos um ensaio com chuva, e no próximo ensaio de repente a gente até pegue de novo”, declarou o presidente Sidnei Carrioullo.

Samba-Enredo

O Águia de Ouro resolveu apostar em carro de som com nomes de peso para 2020, trata-se do intérprete carioca Tinga e dos experientes intérpretes paulistanos Darlan Alves e Douglas Aguiar. O trio está bem entrosado e unido, ninguém atravessa o outro, estão todos trabalhando para o Águia de Ouro alcançar seus objetivos. O samba tem um cronograma, onde a primeira parte fala sobre a como conquistar o poder do saber, e na segunda parte conta que o futuro e a nova era começaram, ou seja, o homem atingiu seus objetivos em questão de inteligência.

“A comunidade está feliz com o samba, o que é muito importante, uma energia maravilhosa. Temos sempre que melhorar, cada hora temos que buscar o melhor em busca do nosso objetivo, desse sonho do Águia de Ouro. A parceria com o Douglinhas e Darlan é maravilhosa, estamos bem unidos e nos damos muito bem, isso é muito importante, cada um respeita seu espaço e estamos trabalhando em prol do Águia de Ouro, e não poderia ter pessoas melhores pra gente trabalhar. Sobre a ponte aérea, estou acostumado, a gente ensaia bastante, canta bastante. A Vila Isabel tem um ensaio só que é na quinta e aqui é aos domingos, então dá pra descansar bem”, disse o intérprete Tinga.

Bateria

Mestre Juca está há muitos anos na agremiação e tem uma identificação enorme com a comunidade. A bateria executou algumas bossas, destaque para o arranjo situado nos três últimos versos, onde a bateria e o carro de som param para a comunidade cantar em uma só voz. Vale ressaltar as coreografias que a bateria realiza ao longo do samba, principalmente os ritmistas do chocalho.

“Ensaio é sempre positivo, mesmo que aconteça alguns erros, aliás o ensaio é pra isso mesmo. Eu acho que foi muito bom, a comunidade do Águia de Ouro canta muito, acho que isso é um ponto forte, positivo, temos algumas coisas pra corrigir, mas temos mais alguns treinos por aí. O canto da comunidade é fruto de muito ensaio na quadra, a comunidade do Águia de Ouro nunca esteve tão comprometida como está no carnaval de 2020, e o time de canto é seleção, não é sempre que se junta Darlan, Douglinhas e Tinga em um carro de som, isso conta muito também. A ideia é fazer bossas durante o trajeto todo, o regulamento prevê que nós seremos julgados somente no campo de audição dos jurados, mas não sabemos aonde começa e aonde termina e de repente podemos ser penalizados por isso, mas eu estou feliz com o novo regulamento, era o que maioria dos mestres queriam e isso quem ganha é o público”, falou o mestre Juca, diretor de bateria do Águia de Ouro.

Mestre-sala e Porta-bandeira

O casal entrou debaixo de uma garoa, que logo passou, mas a pista estava molhada, o que dificultou a apresentação. O casal executou giros rápidos e coreografia dentro do samba, e mesmo com tal dificuldade passaram seguramente na avenida. Foi um dia especial para a porta-bandeira Ana Reis, ensaiando com a sua escola no dia de seu aniversário.

“Eu já estou acostumada, porque sempre os nossos ensaios são marcados nessas datas, entre dia 31 e 1 de fevereiro, e é um presente, nada melhor do que a gente estar fazendo o que a gente ama, é uma satisfação, uma honra”, declarou a porta-bandeira Ana Paula.

“Faltam 20 dias exatamente pro carnaval e a gente não para, estávamos até agora discutindo detalhes que seja importante e essencial para conseguirmos a nota máxima. A gente não quer conquistar e sim consagrar essa nota, então os ensaios continuam intensos, e esse ano com a melhora do critério vai ser melhor pra gente conseguir desempenhar um bailado mais coeso, mais preciso, com mais finalizações, que é isso que o regulamento agora pede e estamos caminhando pra fazer um grande desfile”, disse o mestre-sala João Carlos.

Harmonia

Foi o quesito destaque do treino. Historicamente, a agremiação prioriza muito o canto, isso vem principalmente de ensaios de rua e de quadra, os harmonias trabalham intensamente neste quesito e fazem com que o componente dê o melhor de si, e neste ensaio não foi diferente, a escola demonstrou muita intimidade com o samba para o carnaval de 2020, reflexo também do trabalho do conjunto musical.

Evolução

A escola passou segura neste quesito, não tiveram alas desorganizadas e presença de buracos. A agremiação aposta bastante em alas coreografias, e vale chamar a atenção que a maioria das alas usavam algum adereço de mão. Em questão de tempo, o Águia de Ouro passou correto e não teve muitas complicações.

Comissão de Frente

Foi um dos quesitos destaque da noite. A ala usa o tripé que separa os integrantes em duas partes, e a apresentação teatral se divide, onde na primeira parte aparentemente os componentes simbolizavam o ser humano na pré-história, e na outra parte, a comissão trocavam de integrantes, simbolizando o homem evoluído, e nesta parte também, há mais presença de coreografias dentro do samba.

Comentários