Para o carnaval de 2023, a União da Ilha do Governador levará para a Marquês de Sapucaí o enredo “O Encontro das Águias no Templo de Momo”, que exalta a alegria do insulano em uma grande celebração carnavalesca no palco sagrado do sambista, reverenciando também a coirmã Portela em seu centenário. O site CARNAVALESCO esteve presente e conversou com personalidades da escola em relação às expectativas para o próximo ano.

Ney Filardi, presidente da agremiação, comenta sobre a satisfação do time após o carnaval de 2022. “A Ilha não tem o hábito de contratar em peso. Mas, na medida em que as pessoas foram saindo, é evidente que a escola deveria preencher esses lugares. E eu acho, com toda a humildade do mundo, que montamos uma equipe excepcional. O time é muito bom. Estamos confiantes com o enredo, espero que seja do agrado de todos e faremos um bom desfile novamente. Foguete não dá ré”, diz.

O presidente da azul e branco da Ilha do Governador também acredita que a escola brigará pela vaga no Grupo Especial. “Vamos fazer um trabalho como sempre fizemos e com um time muito competente. É difícil, uma missão árdua. Mas, se papai do céu permitir, nós chegaremos lá”.

‘Engajamento coletivo’, promete diretor de carnaval

A Ilha recebeu em seu time Dudu Falcão, novo diretor de carnaval e que fará jornada dupla, já que ele ocupa o mesmo cargo na Viradouro. “Algumas pessoas me chamaram de maluco, porém, eu trabalho na Viradouro com uma grande pessoa que é o Alex Fab e me deixa muito tranquilo. Eu queria essa experiência na Série Ouro e fazer aquele trabalho que fazemos por lá. Vou buscar esse engajamento coletivo. Claro que eu posso ficar um pouco mais cansado, vou dormir menos, mas estou com muita vontade de fazer esse trabalho e a escola certamente vai comprar. Com a saída do Dudu Azevedo, pintou a possibilidade de vir para cá. É uma grande bandeira e uma grande escola, vamos com tudo para 2023”, pontua.

Igor Vianna sobre acerto com a Ilha: ‘Foi uma coisa mágica’

No microfone principal, sai Ito Melodia e entra Igor Vianna. O intérprete que foi campeão com o Império Serrano demonstra energia para o novo desafio. “É tudo novo. Sair do Império e vir para a Ilha, que é gigante, escola de Aroldo e Ito Melodia. Nem nos sonhos mais insanos eu imaginei isso. Foi uma coisa mágica e o convite veio por meio do Dudu Falcão e o presidente aceitou prontamente. É uma felicidade tremenda. Para o torcedor, podem esperar muita dedicação, garra e samba para o carnaval do ano que vem”, celebra.

Reencontro esperado do casal

Quem também estreia como o primeiro casal da escola é a dupla Thiaguinho e Amanda. Eles retomam a parceria após seis anos. “Eu não esperava sair da Imperatriz e ter uma chegada tão calorosa como estou tendo agora aqui na Ilha, principalmente pelo peso que é o pavilhão dessa escola e pela parceria que eu desejava há algum tempo. Posso dizer que prometemos um desfile maravilhoso, estou empolgado demais”, comenta o mestre-sala.

Para a porta-bandeira, a emoção do reencontro é grande e fica a expectativa para uma grande performance dos dois. “É um sentimento de emoção muito grande e estamos vibrando de felicidade. Amamos trabalhar fazendo arte por meio da dança. Retornar a minha parceria com o Thiago é maravilhoso. Foi uma grande surpresa para nós e ao mesmo tempo tem sido essa celebração na nossa recepção. Já estamos a todo vapor com leveza e felicidade. Eu estava com muita saudade dessa dupla”, finaliza.

Marcelo Santos, mestre de bateria, segue em 2023 só que com uma novidade: comandará a “baterilha” em jornada solo. “A responsabilidade é grande, mas muito prazerosa. Estou realizando um sonho que eu tinha de ser mestre de bateria da União da Ilha. Mostrar o meu trabalho sozinho me traz bastante confiança e tenho total apoio da bateria da escola. Queremos voltar com uma bateria raiz, mantendo o nosso toque que é peculiar. A essência é a Ilha do mestre Paulão”, garante.

Cahê Rodrigues: ‘somos uma escola de sambistas’

Durante a divulgação do enredo, o carnavalesco da escola Cahê Rodrigues se mostrou empolgado com o tema escolhido para o próximo ano. “Estou muito feliz com todo o time apresentado, afinal, temos um time de ouro. Nós vamos para a briga mais uma vez. Não podemos deixar de mostrar a força dessa escola na Avenida. Tiraram da gente, mas não tem problema. Vamos mostrar mais uma vez que com a União da Ilha não se brinca. Somos uma escola de sambistas”, diz.

O carnavalesco explica que é um enredo que o insulano pede há bastante tempo. “Tem a cara e exalta a alegria da Ilha. Eu tinha a vontade de vestir essa escola com as cores insulanas. Precisamos defender a nossa bandeira com orgulho. E a alegria é o sentimento que impulsiona qualquer sambista a ser feliz e queremos defender isso”, finaliza.

Comentários