A Imperatriz Leopoldinense começou o projeto socal que consistem em ações que ajudem sua comunidade e colaboradores como: a distribuição de cestas básicas aos funcionários e segmentos num momento tão crítico da sociedade, a criação do curso introdutório de mestre-sala e porta-bandeira e a Oficina de Percussão.

Funcionários do barracão e das baianas já retiraram suas cestas básicas na quadra. A ação contou com todos os protocolos de distanciamento social, uso de máscara e álcool em gel.

Assim, a escola segue cumprindo com seu papel social em prol de sua comunidade e procurando auxiliar, nesse momento tão difícil, aqueles que ajudam tanto a escola.

“Uma Escola de Samba é, por natureza, uma imensa corrente de amor e união; uma força coletiva que ultrapassa limites e barreiras, diferenças e adversidades, em prol de um bem maior. Por isso seu povo é chamado de comunidade. Neste momento em que tantos de nós passam por dificuldades, a Imperatriz Leopoldinense envia, através desta cesta, seu gesto de carinho e afeto a todos aqueles que fazem de nosso pavilhão a bandeira de suas próprias vidas”, disse a presidente Cátia Drumond.

Comentários