Compositores: Douglas, Azeitona, Badá e Ivar Sangue bom

Respeita meu samba eu sou o Quilombo
Que o Mestre Candeia inspirou
Reduto de bambas, do bom capoeira, da Preta Princesa guerreira
Das coisas que vó ensinou
A minha arte é minha luta
A resistência
A minha cor, a consciência
A força da gente que nunca se cansa
A sua cultura alcança o mundo inteiro
Partido Alto ao Jongo, Maracatu, Afoxé
É o negro brasileiro

Samba de Preto, “Nego” samba Quilombola
Não nego a raça hoje é dia de graça
Sem preconceitos a Formiga vem aí
Canta Sapucaí

Vamos vestir novamente a simplicidade
Saudar meus heróis e aplaudir sua dignidade
A paz e o amor são as cores do meu Pavilhão
Meu manifesto é o carnaval de pé no chão
Cantar a verdadeira liberdade
Lembrando o poeta e ator
Que saudade !!
Um dia a minha voz vai ecoar de novo
Nessa Kizomba que é do povo
E vai ser mais feliz

Vai subir poeira
A verde e branco não é brincadeira
E vem com fé pisando forte no terreiro
O meu Império traz o samba verdadeiro

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui