COMPOSITORES: Eduardo Almeida, Gela Amaral, Franck William e Cláudio Emiliano
Intérprete: Marquinho 10

Ê CANDEIA Ê… Ê CANDEIA
O MORRO DA FORMIGA É QUILOMBO
POESIA E ESSÊNCIA ANCESTRAL
PRETO NA ALMA E NA COR
O MEU PROTESTO É O SAMBA
AXÉ PRA ESQUECER A DOR
A FÉ PRA VENCER DEMANDA
RESGATAR A NOSSA HISTÓRIA
REVIVER A ESPERANÇA
NO PASSADO O ESPELHO
DE UM NOVO OLHAR
À “NOVA ESCOLA” A EXALTAR

TEM JONGO, TEM CAPOEIRA… GINGA IAIÁ
EM NOITE DE LUA CHEIA… CAMARÁ
PARTIDO ALTO, MARACATÚ, AFOXÉ
TEM QUE TER FÉ, TEM QUE TER FÉ

AO POVO EM FORMA DE ARTE
CLAMEI POR LIBERDADE
EM CADA VERSO, INSPIRAÇAO QUE CONDUZ
O SAMBA É A NOSSA LUZ
CHEGA DE NEGAR A RAÇA
CHEGOU O DIA, O “DIA DE GRAÇA”
NÃO “SOUL” MAIS O RITMO ESTRANGEIRO
MEU SOM É DO POVO BRASILEIRO
SOB A PROTEÇÃO DA PADROEIRA
NÃO ESTAMOS SÓS
ORA YÊ YÊ OXUM
OLHAI POR NÓS

MINHA RAÍZ É QUILOMBOLA. RESISTÊNCIA
EU BATUCO NO TERREIRO
MINHA ARTE É CULTURAL
SOU PRIMEIRO IMPÉRIO DO CARNAVAL

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui