Compositores: Gustavo Albuquerque, Wagner Mariano, Fabiano Paiva e Camilo Jorge
Intérprete: Pitty de Menezes
Participação Especial: Iracema Monteiro

Sou a tradição empedernida
Sou madeira, sou a vida, sou resistência!
Sob o pano colorido, a pele preta
A ancestralidade, meu nome é Carnaval (Carnaval)
Sou a gente com fome em mais uma estação
Poema da raça tingido na cor
Mas eu vou… Ah! Se Eu vou…
Dancei lundu, jongo, afoxé, maracatu
O amor como estandarte, ao povo em forma de arte
Risquei meu chão, e nele fiz subir poeira
Candeia que alumiou Mamãe Oxum na cachoeira

Gira baiana, vem evocar
Dandara ê! Dandara!
Traz Ganga Zumba, enfeita o congá
Que hoje tem Xirê, hoje eu vou sambar

Tu que mudaste o caminho
Pintaste de branco o meu samba
Não vê que no meio de espinhos
Floresce de novo a força Kizomba
O meu lar é morada de sambista
Aonde versa o partideiro
De onde emana a pujança de Zumbi
Sementes eu plantei na negra poda da raiz
Sou a voz que não se cansa
O dia da graça, da esperança

Sou Quilombo! Respeita o meu axé
A força telúrica, a dança do Orixá!
Canta Formiga… Vamos à luta
O nosso Império ninguém vai calar!

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui