COMPOSITORES: Rafael Nininho, Romeu, Thom Lópes e Antônio Conceição

Cheguei trazendo respeito e tradições
trago o canto do negro
No verso de um partideiro a Fé
Embalei tantas gerações
Na imponência de um rei
fui além da ilusão
Nas cores de um pavilhão imperiei
Virei quesito visual
E num sonho tão bonito
Acordei no carnaval

Nasci manifesto sem raça e cor
Na luz de candeia o dom de compor
De Nei e Moreira a Paulinho da Viola
Sou negritude tenho meu valor

Tantas vezes fui discriminado
Desvalorizado em falsas mãos
Sou a verdade de um povo
Sou a resistência raíz desse chão
Na arte desabrocho em poesia
Da ancestralidade a melodia
Da mente de um compositor
Renasce a pura inspiração
Salve zumbi,salve nossos baluartes
o morro da formiga é kizomba
É raça a voz da liberdade

Toca o tambor Ora yê yê ô
alumia candeia meu cândia
Chegou Império da Tijuca quilombola
É a formiga com a sede de vitória

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui