Por Matheus Mattos. Fotos: Magaiver Fernandes

Encerrando a noite de ensaios técnicos das escolas do Grupo Especial, o Império de Casa Verde demonstrou estar apta a disputar o título do Carnaval de 2019. O treino foi encarado pela agremiação como um verdadeiro desfile, componentes fantasiados, arrancada emocionante e empolgação influenciaram positivamente.

Harmonia

A agremiação cantou bastante o samba. O entrosamento das alas com o carro de som não teve falhas e, com a permanência do nível, pode alcançar a nota máxima no quesito.

“Eu acho que falar em perfeição é muito difícil, mas eu acho que a gente está muito próximo do que a gente tem como objetivo. Uma escola compacta, uma escola que canta, que dança, que transmite energia para o público e consegue receber essa energia de volta. A gente percebeu essa troca com a arquibancada. Estamos muito próximo dos nossos objetivos. Temos 23 alas e só 7 são coreografadas. No geral tem coreografias que interage a escola inteira, então da essa sensação de muito coreografada”, disse Serginho, diretor de harmonia.

Comissão de frente

Coreografada pelo André Almeida, o quesito trouxe todos os bailarinos fantasiados que demonstraram ótimo desempenho pelo tempo que resta para o desfile. A ala trouxe duas coreografias e interação constante com o tripé. Os bailarinos interagiram constantemente com as arquibancadas. Parte dos dançarinos voltaram para encerrar o ensaio.

“Nós trouxemos o nosso trabalho oficial. É um grande teste pra gente o desfile, então hoje trouxemos as duas coreografias pra justamente ver o que vai funcionar, o que não vai dar certo. A gente está com 90% do nosso trabalho concluído, temos algumas coisinhas pra melhorar”, afirmou o artista.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

A dupla mostrou uma boa performance. O Rodrigo Antônio e a Jessica Gioz optaram por uma roupa mais leve, terno para o mestre-sala e vestido para a porta-bandeira. Eles apresentaram o pavilhão para as torres que contém jurados do quesito. A dupla traz uma dança mais moderna, com passos diferenciados.

Bateria

Comandada pelo Mestre Zoinho, a bateria Barcelona do Samba trouxe uma proposta mais conservadora e valorizou o ritmo, dando a sustentação necessária para a agremiação.

Evolução

A escola demonstrou maturidade com o andar. Assim como foi falado na primeira crônica, muitas alas coreografadas estarão presentes no desfile, e a organização dos foliões no ensaio demonstra boa maturidade.

Samba-Enredo

Impulsionado pelo intérprete Carlos Júnior, a ala musical fez uma ótima passagem pelo Anhembi. Aberturas de vozes pontuais enriqueceram o samba.

“Hoje foi bem técnico mesmo, o primeiro ensaio a gente estava pura emoção. Conseguimos fazer uma mistura de emoção e técnica, eu não sou a pessoa certa pra falar da escola em geral, mas por onde eu tava, e pela energia da largada,, da ver que a gente vai vir pra disputar. A gente sabe que o horário do desfile é muito ruim para uma escola de samba, é meio que uma cultura das primeiras escolas serem prejudicadas com jurado que segura nota. Vou dar 9.9 porque estou esperando as outras escolas. Temos um certo receio com isso. Mas estamos buscando atingir o jurado através da emoção”, afirmou o cantor.

Destaque

Um ponto de destaque no desfile será o tamanho do abre-alas. Nos bastidores, o carnavalesco Flávio Campello revelou que a alegoria contém 80 metros, divididas em 3 bases. Destaque também para a ala que representa o filme dançando na chuva.

O Império de Casa Verde será a segunda escola a desfilar na sexta-feira de carnaval no Sambódromo do Anhembi. A escola vai apresentar o enredo ‘O Império contra-ataca’. O tema está a cargo do carnavalesco Flavio Campello.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.