A Inocentes de Belford Roxo levou para a Sapucaí nesta noite de sábado a emocionante trajetória da atleta Marta Vieira da Silva. Sendo a maior artilheira da história da Seleção Brasileira de Futebol e detentora do título de melhor do mundo por seis vezes, Marta teve uma infância sofrida e de muitas lutas. Aos 14 anos deixou a pequena cidade de Dois Riachos, em Alagoas, e foi rumo ao Rio de Janeiro, onde conquistou sua primeira oportunidade da carreira no Vasco da Gama. Essa passagem pelo clube carioca rendeu uma ala inteira no desfile da caçulinha da Baixada.

Intitulada como “Vasco da Gama, a casa que acolheu”, a quinta ala representou essa fase tão importante da vida da jogadora. A fantasia era leve e simples, o que permitiu a evolução do componente na Marquês de Sapucaí. Parecida com um uniforme, os integrantes carregaram o preto, branco e vermelho característicos do time. Além da Cruz de Malta, o grande símbolo do clube, colocado no esplendor e em um chapéu.

Para Júlio César de Almeida, de 55 anos, é uma honra pisar na avenida homenageando seu time de coração e a jogadora Marta.

“Sou tão apaixonado que tenho tatuada a Caravella do Vasco. Para nós, vascaínos, a Marta é um ícone. Uma mulher que saiu de onde ela saiu e que conquistou o mundo. Ela deu força para a mulher em um espaço que até hoje fecha portas. O futebol feminino está avançando, mas ainda precisamos dar muito apoio para que isso avance”, disse o componente.

Comentários