Uma das maiores revelações da Beija-Flor de Nilópolis, o intérprete Gilson Conceição Junior, o Bakaninha, faleceu na madrugada desta sexta-feira, em um acidente de carro, voltando do ensaio na quadra da azul e branco. O músico perdeu o controle do veículo e colidiu em um muro, na Estrada Dr. Rufino Gonçalves Ferreira, em Nilópolis, na Baixada Fluminense. Filho de Gilson Bacana, o jovem era considerado por Neguinho da Beija-Flor o seu sucessor no carro de som da escola de samba. O artista completaria 31 anos, hoje, dia 28 de janeiro.

Desde 2009, Bakaninha integrava o time de cantores de apoio que dava suporte a Neguinho na Sapucaí – como segundo cantor, era dele a voz que conduzia os ensaios nas eventuais ausências do titular. “Infelizmente acordei hoje com esta triste notícia da morte brutal do Bakaninha, a quem considero meu sucessor, praticamente um filho!! Meu coração está em prantos!! Descanse em paz e que você esteja nos braços do Senhor”, publicou Neguinho da Beija-Flor nas redes sociais.

Foto: Eduardo Hollanda/Divulgação Beija-Flor

A Beija-Flor decretou luto pelo falecimento do cantor. “De luto, a Beija-Flor presta sua última homenagem a Bakaninha reconhecendo mais uma vez, como fez Neguinho, as qualidades de Bakaninha e a legitimidade do amor e da entrega dele à escola em que se formou enquanto artista e cidadão de Nilópolis. A agremiação está solidária à família e aos amigos de Bakaninha e, assim que possível, divulgará informações sobre o funeral e demais desdobramentos dessa dura despedida. Vai com Deus, Bakaninha! A Beija-Flor ouvirá sua voz para sempre”, informa trecho da nota divulgada pela escola.

Sucessor e respeito por Neguinho da Beija-Flor

Apaixonado pela Beija-Flor, Bakaninha estava na escola desde os cinco anos de idade. O cantor, sempre muito querido pelos sambistas de outras agremiações, exalta sempre o profundo respeito por Neguinho da Beija-Flor. Dentro da azul e branco, o jovem conquistava cada vez mais espaço para um dia um dia assumir o posto de intérprete principal da escola de samba.

“O Bakaninha será meu sucessor. Um dia, vou ter que parar. É nascido e criado na Beija-Flor. É dedicado, tem bom comportamento, não bebe, não fuma, é respeitador. Tem outros cantores, mas ele é o que acho que tem todos os predicados para, um dia, me substituir”, disse Neguinho da Beija-Flor, ao site Sambarazzo, em 2016, quando foi homenageado com o prêmio Estrela do Carnaval, do site CARNAVALESCO.

Em fevereiro de 2019, no ensaio técnico da Beija-Flor no Sambódromo, Neguinho não pode comparecer e Bakaninha assumiu a responsabilidade em substituir uma das lendas do carnaval brasileiro, e fez seu papel com brilhantismo. Bastante identificado com a agremiação, Bakaninha não conteve a emoção e foi às lágrimas ao fim do ensaio, orgulhoso da primeira vez que defendeu a Beija-Flor como principal voz na Sapucaí.

“Foi uma emoção muito grande o que vivi hoje. Estar no carro de som do maior intérprete do carnaval de todos os tempos que é meu padrinho Neguinho da Beija-Flor pra mim é uma grande honra. É ele que me dá sempre os conselhos. Hoje estou sem palavras pelo momento vivido. O canto da comunidade que representa tudo desse ensaio. A escola fez o que era pra ser feito: cantar com o coração”, comentou Bakaninha na época para o site CARNAVALESCO.

Comentários