Durante a live do 4º Encontro Nacional de Mestre-Sala, Porta-Bandeira e Porta-Estandarte, Laíla, que por anos foi diretor de carnaval da Beija-Flor, falou sobre a ideia de levar o casal de mestre-sala e porta-bandeira para frente da escola e não mais à frente da bateria. Isso acontece há 20 anos e por iniciativa do próprio Laíla.

“Quando eu lancei a ideia foram muitas críticas. Depois, copiaram. Foi sucesso absoluto. Poderia ser bem melhor se as escolas pudessem dar mais apoio para seus casais. Eles são os representantes legítimos do pavilhão”, afirmou Laíla.

Agora, Laíla diz que existe uma “briga artística” entre a comissão de frente e o casal de mestre-sala e porta-bandeira.

“No passado, a gente respeitava as comissão de frente pela simplicidade. Hoje, o que a gente vê é uma briga artística entre a comissão de frente e mestre-sala e porta-bandeira. Não precisa fazer carro faraônico em detrimento de quem representa o pavilhão da escola de samba. Peço que sejam feitos carros menores para que os casais possa aparecer”.

O direto ainda fez um pedido sobre a dança dos casais no carnaval das escolas de samba.

“Não percam o pé de sambista. O bailado é uma coisa e a dança de mestre-sala e porta-bandeira é original de escola de samba”.

Comentários