A informação dada pelo prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, que o Corpo de Bombeiros desinterditou a Cidade do Samba não é o aval inicial para a Estação Primeira de Mangueira recomeçar seus trabalhos. Em entrevista ao canal da TV Paticumbum, o carnavalesco Leandro Vieira explicou a situação financeira da Verde e Rosa.

Leandro Vieira diz que Mangueira não vai recomeçar trabalho com desinterdição da Cidade do Samba: 'Está duríssima'
Foto: Arquivo pessoal

“A desinterdição da Cidade do Samba é importante. Não para começar um carnaval, mas porque foram realizadas pequenas adequações de segurança para que essa liberação fosse possível. Fico feliz em saber que o lugar está mais seguro para trabalhar. Para Mangueira não muda a desinterdição. Não quer dizer que vai começar a trabalhar. A Mangueira está duríssima. Ela está no pacote daquelas escolas que vão esperar alguma verba e confirmação. A Mangueira vai esperar o início do retorno de alguma receita que certamente deve estar sendo negociada com a Liga. O espaço foi desinterditado, mas a escola não tem receita para iniciar o trabalho”.

O artista negou que a situação financeira seja um problema para a realização do próximo desfile mangueirense.

“Com a mesma situação financeira, a Mangueira já ganhou duas vezes. Nunca foi bom, nunca foi fácil. Sempre foi na base do reaproveitamento. Me acostumei a fazer desse jeito, dentro da economia prevista. Em linhas gerais, estou com a expectativa que o Carnaval de 2022 seguirá aquela velha estrutura do carnaval de sempre. Algumas escolas já fizeram protótipos. A Mangueira vai começar lá para agosto ou setembro, como se fosse um carnaval normal”, afirmou Leandro Vieira.

Comentários