Depois da Liesa, é a vez das escolas da Lierj conhecerem a ordem de desfiles para o Carnaval 2020. O sorteio acontece nesta terça na sede da entidade no centro do Rio. Depois de uma disputa política pelo comando da entidade, o ex-presidente Renato Thor deu lugar à Wallace Palhares, que deixou a presidência do Acadêmicos do Sossego. As regras do sorteio são as mesmas do Grupo Especial. Por regulamento a Acadêmicos de Vigário Geral abre a sexta-feira e a Acadêmicos do Sossego o sábado de carnaval. As demais agremiações foram divididas em seis pares. As duplas serão chamadas e sortearão números. Quem tirar o número maior escolhe o dia e sorteia primeiro quem terminou melhor colocada. Em seguida as escolas são chamadas para definirem a ordem de cada dia. Ao final do processo têm 5 minutos para efetuarem trocas dentro do mesmo dia de desfile.

Das 14 agremiações da Série A em 2020, três permanecem ainda sem enredo definido. Seguindo a ordem de classificação de 2019, o site CARNAVALESCO traz um levantamento acerca de como chegam as escolas para o sorteio.

Imperatriz Leopoldinense: A grande atração do desfile da Série A em 2020, oito vezes campeã do carnaval no Grupo Especial, tem preocupado seus torcedores. Desde o rebaixamento da escola nenhum movimento de renovação ou contratação de ninguém foi feito. A única saída confirmada foi a do diretor de harmonia Júnior Escafura. A verde e branca é uma das três escolas ainda sem enredo definido.

Império Serrano: Depois de dois desfiles no Grupo Especial abaixo das expectativas o Império volta à Série A como uma das forças do grupo. A escola realizou mudanças para o ano que vem. O carnavalesco Júnior Pernambucano substituiu Paulo Menezes e vai desenvolver o enredo ‘Lugar de mulher é onde ela quiser’, uma temática voltada ao feminismo e o empoderamento das mulheres.

Cubango: Após a melhor colocação e o melhor desfile de sua história em 2019, a Cubango perdeu a dupla Leonardo Bora e Gabriel Haddad, que foram para a Grande Rio. Raphael Torres e Alexandre Rangel, ex-carnavalescos da Renascer de Jacarepaguá, foram contratados. O enredo escolhido segue a mesma linha dos últimos. ‘A voz da liberdade’ é um tributo à Luiz Gama, o patrono da abolição da escravatura.

Porto da Pedra: Com uma das comunidades mais fortes do grupo, a Porto da Pedra foi uma das que iniciou mais cedo o seu projeto para o ano que vem. Jaime Cezário deixou a escola depois de quatro bem sucedidos carnavais. Anik Salmon chegou para o posto e vai realizar seu primeiro trabalho solo na carreira, depois de cinco anos na comissão de carnaval da Unidos da Tijuca. O enredo proposto pela vermelha e branca é ‘O que é que a Baiana tem? Do Bonfim à Sapucaí’.

Império da Tijuca: A verde e branca do Morro da Formiga foi a primeira campeã da era Lierj, em 2013. Seus outros desfiles na Série A entretanto estiveram distantes do campeonato. Para voltar aos dias de glória a escola aposta em uma promessa: o carnavalesco Guilherme Estevão realiza seu primeiro trabalho na carreira. A escola havia escolhida Marcus Ferreira para o posto, mas ele foi contratado pela Viradouro quando já havia iniciado os trabalhos na verde e branca. A escola vai apresentar o enredo ‘Quimeras de um eterno aprendiz’.

Santa Cruz: A mais distante escola de samba do Sambódromo obteve a melhor colocação de sua história desde que a Lierj foi criada, em 2013. Apesar do 5º lugar alcançado, a escola ainda não definiu seu enredo nem o carnavalesco que vai desenvolver o projeto da escola para 2020.

 

Unidos de Padre Miguel: Sempre cotada como uma forte candidata ao acesso, a Unidos obteve em 2019 a pior colocação de sua trajetória recente, desde que passou a disputar os campeonatos no acesso com a criação da Lierj. A vermelha e branca havia anunciado um enredo sobre a artista Tarsila do Amaral, mas decidiu reescolher o enredo e vai abordar ‘GINGA’ na Marquês de Sapucaí. Fábio Ricardo volta ao carnaval na escola ano que vem.

 

 

Renascer de Jacarepaguá: A escola da Zona Oeste, que chegou a desfilar no Grupo Especial em 2012, obteve em 2019 a sua melhor classificação desde a criação da Lierj, um 7º lugar. Depois de perder a dupla Raphael Torres e Alexandre Rangel para a Cubango, a Renascer vai promover mais uma estreia na avenida: o carnavalesco Ney Júnior vai desenvolver o enredo ‘Eu que te benzo, Deus que te cura’.

Unidos de Bangu: A mais antiga agremiação da Zona Oeste trouxe de volta a dupla de carnavalescos Rodrigo Marques e Guilherme Diniz, que deram à escola o título da Série B em 2017 e o retorno à Sapucaí no ano seguinte. Os jovens carnavalescos estiveram na Unidos da Ponte neste ano. Eles irão desenvolver o enredo ‘Memórias de um Griô: a diáspora africana numa idade nada moderna e muito menos contemporânea’.

Inocentes de Belford Roxo: A Inocentes, assim como a Unidos de Padre Miguel, alterou o seu enredo para o desfile do ano que vem, após anunciá-lo. A escola iria desenvolver ‘O pulo do gato’ anteriormente. Mas decidiu homenagear a jogadora de futebol Marta, eleita seis vezes a melhor do mundo pela FIFA. Quem vai desenvolver o projeto é Jorge Caribé, que deixou o Império da Tijuca.

Unidos da Ponte: Voltando ao Sambódromo 12 depois de sua última participação, a Ponte não só permaneceu na Série A como ainda se garantiu no sorteio para 2020 com o 10º lugar obtido com a reedição de oferendas. No ano que vem a escola promove mais uma estreia na Série A: Lucas Milato irá desenvolver o enredo ‘Elos da Eternidade’.

Rocinha: A tricolor de São Conrado e Rocinha é a terceira agremiação da Série A que não tem enredo nem carnavalesco para o desfile de 2020 ainda. A agremiação perdeu Júnior Pernambucano para o Império Serrano. Depois do rebaixamento em 2014 à Série B, a escola retornou ao Sambódromo no ano seguinte e tem tido um desempenho irregular, com um 6º lugar em 2017 e dois 11º lugares nos anos seguintes.

Sossego: A escola do Largo da Batalha vem conseguindo se manter na Série A, desde o título da Série B em 2016. Marco Antônio Falleiros foi contratado depois de desenvolver os carnavais da Alegria da Zona Sul nos últimos anos. A escola já sabe que abrirá o sábado de carnaval com o enredo ‘Os Tambores de Olokun’.

 

Vigário Geral: Depois de 11 anos a Acadêmicos de Vigário Geral voltará a desfilar no Sambódromo. A escola surpreendeu a todos com o seu acesso no Carnaval 2019, com uma arrancada emocionante na apuração do Grupo B. A agremiação manteve a comissão formada por Alexandre Costa, Lino Salles, Marcus do Val e Rodrigo Almeida, responsável pelo campeonato de 2019. Eles irão desenvolver o enredo ‘O Conto do Vigário’. A escola abrirá os desfiles da sexta-feira de carnaval.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.