O Sambódromo da Marquês de Sapucaí deve estar quase todo lotado nos desfiles do Grupo Especial no domingo e segunda-feira de carnaval. A Liesa teve um crescimento de 10% nas vendas de ingressos em todos os setores de arquibancada, além de frisas e camarotes. Em entrevista concedida ao site CARNAVALESCO a informação foi confirmada pelo diretor geral da Central de Vendas da Liesa, Heron Schneider.

“Crescemos em torno de 10% no geral. Ano passado atingimos 87% da avenida e estou com a expectativa de 95%. Isso é claro é uma estimativa, pode até atingir mais. Tem aquela quebra de 10% na venda do camarote individual”, disse.

Heron explica que o maior crescimento nas vendas se deu justamente no ativo mais caro da avenida, os camarotes. Ele explica que, mesmo não atingindo a carga total, as vendas devem superar bastante aqueles espaços que foram comercializados no carnaval passado.

“Vendemos 30% a mais em relação ao ano anterior. Apesar da crise a resposta foi boa e isso nos deixou bem animados. Não devemos atingir 100%, mas atingiremos 90%. No ano passado ficamos em 70%. A realidade é que hoje a passarela tem se caracterizado pela abertura de espaços embaixo dos super camarotes, com lounges. Se pensarmos em público físico, temos mais que nos anos anteriores. Deixamos de vender 30 camarotes. São 450 pessoas. Mas eu supero isso com os super camarotes. Em público vamos ter mais de 50% da capacidade se eu vendesse um a um. Fomos muito procurados por empresas e algumas já pediram reserva para o ano que vem”, explicou. (Fotos: Leo Queiroz)

Outro aspecto positivo na vendagem de ingressos é com relação às frisas. A Liesa deve conseguir comercializar 100% dos espaços situados à margem da avenida, conforme afirma Heron.

“As frisas na segunda-feira de carnaval só temos vagas nos setores 8 e 9. Sendo que o 9 é de responsabilidade da Associação Brasileira de Agências de Viagem (ABAV) e eles nos repassaram as sobras. Em ambos setores só temos fila D. No domingo temos 51 frisas apenas. Isso deve acabar até semana que vem. Em 2018 sobraram 190 frisas, algo em torno de 10% do total. Esse ano acredito que comercializemos 100% da capacidade”, afirma.

Vendas de arquibancadas impulsionadas por ensaios técnicos

Com relação às arquibancadas especiais, a expectativa de Heron é também a comercialização de 100% dos cerca de 75 mil lugares disponíveis em todos os setores, incluindo os populares.

“No tocante a arquibancadas, ano passado tivemos uma demanda retraída, pois precisamos lembrar que a cidade estava em uma crise muito grande. Funcionalismo sem receber salários. Esse ano, com a reação do Estado foi bem melhor. Estamos com expectativa de vender os 100%. Mas um detalhe a ser registrado é que em 2011 tínhamos 52 mil espectadores como capacidade e hoje 75 mil. É um aumento de 50%, indo na contramão de redução da maioria dos espetáculos. A oferta passou da demanda reprimida que tínhamos. Arquibancada, 90% a gente vende próximo ao desfile. A influência dos ensaios técnicos faz toda a diferença. Muita gente realiza a compra após estar na avenida nos ensaios. É um ativo importante”, destaca.

Outro fator explicado por Heron é um antigo pleito de muita gente com relação ao parcelamento no pagamento das arquibancadas. Pela internet é possível pagar em até seis vezes, mas segundo o diretor o número de pessoas que opta por este formato de pagamento é irrisório.

“Muitas vezes as pessoas não compreendem que o perfil do consumidor de carnaval é diferente. As vendas só aquecem após a virada do ano, é uma questão de cultura. Atendemos 7.800 pessoas com 14.000 ingressos até dezembro, e só 24 quiseram comprar em 5 parcelas. 85% compram em uma ou duas. O problema não é de parcelamento. O público do carnaval tem essa característica, que muita gente não sabe”, alerta.

Super camarotes terão fiscalização para som não vazar para pista

Heron Schneider também falou ao CARNAVALESCO sobre a venda de ingressos para os desfiles da Série A, na sexta e sábado de carnaval. As arquibancadas começaram a ser comercializadas esta semana e as frisas para a segunda noite de apresentações já estão esgotadas.

“Na Série A as frisas são um sucesso absoluto. Conversamos com o presidente Thor e decidimos manter esses valores. Sábado está esgotado há mais de dez dias e a sexta vai acabar esgotando também, o que jamais havia acontecido. Arquibancada ainda não temos como ter uma noção, pois começou essa semana”, afirmou.

Heron explicou também que o som dos super camarotes será fiscalizado para não haver vazamento para a pista e desta forma incomodar o público das frisas e arquibancadas.

“Existe a recomendação nossa deles fazerem um correto isolamento acústico. Quando nos é reclamado de ruído por parte do público nós mesmos vamos até lá e pedimos para baixar o som. E não há qualquer tipo de resistência aos donos dos camarotes. Geralmente,os próprios DJs se empolgam com o público curtindo e acabam subindo o volume. Mas estamos atentos e fiscalizando. A nossa intenção é atender o cliente da frisa da mesma forma que os camarotes”, finaliza.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui