Faleceu na noite desta segunda-feira, aos 61 anos, o intérprete David do Pandeiro, que foi o responsável por cantar na Marquês de Sapucaí, no ano de 1999, pela Unidos da Tijuca, o samba-enredo histórico “O Dono da Terra”, conhecido como “Pedras preciosas”. Nos últimos meses, o cantor fazia sessões de hemodiálise. Ele chegou a fazer o teste para Covid-19 e o resultado deu negativo.

Além de ter cantado o samba “O Dono da Terra”, David do Pandeiro carregava a vitória de em 1996 ter substituído o consagrado Dominguinhos do Estácio, na Estácio de Sá, que foi campeão do Grupo Especial em 1992.

“Uma das maiores vozes melódicas do carnaval. Vivia cantando as músicas de diversos compositores. Recentemente, ele virou avô. Minha geração e muitas gerações só têm uma coisa a dizer: ‘Obrigado por tudo que proporcionou ao mundo do samba’. Você é uma pedra preciosa que sempre vamos admirar”, disse Ricardo Simpatia, diretor de carnaval da Santa Cruz e amigo de David do Pandeiro.

Em 1985, o cantor esteve ao lado de Ney Vianna no histórico “Ziriguidum, 2001”, samba da Mocidade Independente de Padre Miguel.

Nas escolas de samba, David passou pela Santa Cruz, Mocidade, Sossego, Grande Rio, Imperatriz, Flor da Mina do Andaraí, Estácio, São Clemente, Unidos da Tijuca e Viradouro.

Vídeo de David do Pandeiro na arrancada do samba de 1999 da Unidos da Tijuca

Vídeo: diversas passagens de David do Pandeiro pela Avenida

Vídeo: Gritos de guerra de David do Pandeiro

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui