O dia está mais triste para os apaixonados por carnaval. Faleceu Amadeu Amaral, o mestre Mug, que por mais de 30 anos comandou a bateria da Vila Isabel. O sambista estava internado desde 12 de março no Hospital Universitário Pedro Ernesto (HUPE), em Vila Isabel, Zona Norte do Rio de Janeiro.

Mug, presidente de honra da bateria da Vila Isabel, foi internado para tratar uma hérnia de disco na cervical e na lombar. Durante a internação, ele contraiu uma bactéria no pulmão. Em setembro de 2020, o mestre chegou a vencer a Covid-19 e falou ao sair do hospital.

“Eu venci a Covid1-19! Que felicidade poder ir para casa. Agradeço a minha família, a todos os meus fiéis amigos que samba me deu, vocês nunca me abandonam. Obrigado por todas as orações, pensamentos positivos, inúmeras mensagens e ligações. O mestre voltou, obrigado meu Deus!”.

Depoimentos de sambistas sobre Mug para o Departamento Cultural da Vila Isabel.

Décio Bastos, ex-diretor de Harmonia da Vila
“Ele é amigo, parceiro, grande mestre, parceiro, competente. Minha relação com ele transcende o samba. Me recebeu muito bem, antes de 1988. Dentro do samba, a gente sempre teve relação boa com a bateria. Fizemos vários carnavais”.

Ruça, ex-presidente da Vila Isabel
“Eu queria muito que a Vila Isabel revelasse seus valores e componentes. Tinha um bateria, um ser fantástico, que a gente chamava de Mug. A gente sabia que ele tinha condição de ser um mestre de bateria”.

Gera, intérprete de Kizomba em 1988
“O Mug tem muita relação com minha história na escola. Ganhamos Kizomba com ele como diretor. A gente era muito entrosado. A gente se olhava e sabia o tom e andamento. Uma pessoa maravilhosa. Tenho muito orgulho de falar dele e ter participado do carnaval de 88 com ele”.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.