Compositores: Márcio André Filho, Marcelo Lepiane, Lico Monteiro, Leandro Thomaz, Lucas Macedo, João Perigo, Richard Valença, Telmo Augusto, Jefferson Oliveira, Devid Gonçalves, Rafa Kaoma e Rodrigo Cavanha
Intérpretes: Pitty de Menezes e Grazzi Brasil

Vim ganhar o sol do chão rachado
A vingança é meu recado
Em terra onde prosa é facão
Do verso quente que acha o seco do compasso
Meu caminho eu mesmo traço
Sou fogo aceso à luz de lampião
Poeira vai subir, poeira
Prova a coragem quem não cansa de lutar
Pés em fileira, corpo firme, passo forte
Sinal de sorte: o meu bando há de voltar

Não desafie Maria
O que ela tem de bonita
Tem de bravura pra quebrar a tradição
Chapéu de couro, põe o lenço no pescoço
É um alvoroço a “muié” do capitão

É mais que razão
Quando a arte muda o destino
Peregrino sigo errante a minha história
Tocando zabumba e o coração
Se o santo é forte, ninguém vai me derrubar
Meu Padim Ciço, o meu peito é seu altar
Verso arretado, soneto de barro
Abro o meu cordel para o Brasil cantar
Mancha, o nosso samba eu carrego aonde for
Mancha, cá no meu fole já não cabe tanto amor
Fulô que nasceu desse chão
É voz que o nordeste apaixona
Rei do baião, toca a sanfona!

No balanço quem tá dentro não sai
E quem não tá quer entrar
Bate zabumba ê, bate zabumba
A lua do sertão anunciou
Eu sou Xaxado, Mancha Verde, sim senhor!

Comentários