Compositores: Lucas Abner, Lúcia Deborah, Márcio Hilário e Walace Professor
Intérprete: Leandro Santos

Mangueira hoje se veste de saudade
E risca o chão para prestar sua homenagem
à poesia, ao canto e à dança
herança de reis ancestrais
sou verde e rosa, semente de sambistas imortais

Desce do morro essa gente valente
Mulheres guerreiras, homens resistentes
E só então o sol nascerá

Alvorada já colorida com a vida
É um moinho que alimenta a ilusão
Mas bate com esperança o coração

Todas as vozes cantam juntas
Os versos para firmar nossa raiz
Coletiva consciência de lutar
Pelo direito a ser feliz

Bailam seus corpos livres na avenida
No sonho de levar a vida a sorrir
Em paz no seu lugar de reexistir

E não há quem não leve na alma
Misturados e bem-vindos
Angenores, Josés e Laurindos
Somos eles, eles somos nós
O morro vive e faz ouvir a nossa voz

É o passado que inspira o futuro à nossa gente
Mangueira… presente!
É o passado que inspira o futuro à nossa gente
Mangueira sempre presente!

Comentários