Por Guilherme Ayupp e Victor Amâncio

A Mangueira realizou nesta quinta seu primeiro ensaio de rua preparatório para o desfile no Carnaval 2020. E nas palavras do próprio presidente Elias Riche, deixou claro que mesmo desfilando como terceira de domingo está credenciada a lutar pelo bicampeonato. “Nós vamos lutar pelo título novamente. Ano passado nossas concorrentes acharam que estávamos mortos, fomos lá e ganhamos deles. Agora será ainda mais difícil pois estão de olho em nós, para repetirmos tudo o que fizemos”. O site CARNAVALESCO acompanhou o ensaio, o último da série de visitas antes das festas de fim de ano.

Além de emocionar, o samba se encaixou perfeitamente com o carro de som e a bateria de mestre Wesley, que levou para o ensaio quatro bossas ousadas que levantam a comunidade. O ensaio teve a presença do primeiro casal que mantém o nível de dança dos últimos anos e a comissão de frente fazendo uma coreografia cheia de garra.

Harmonia

Apesar de quando chegar no desfile a Mangueira sempre mostrar o seu valor, a harmonia nos ensaios da agremiação costumava ser um problema. Algo que definitivamente esteve longe de acontecer no primeiro treino mangueirense na rua. As alas já estão em ponto de desfile, nenhum componente precisou de letra pra cantar o belo samba da escola, com um canto forte, volumoso, sem perder a pegada em nenhum trecho da obra ou do ensaio. As alas mais distantes do carro de som não fizeram por menos e também cantaram bastante. No refrão e na cabeça do samba o folião canta com ainda mais emoção e o nível do canto se engrandece. Foi possível perceber algumas pessoas emocionadas durante o treino refletindo a emoção do enredo e do samba. O carro de som que tem Marquinhos Art’Samba como primeira voz levou muito bem o samba por todo ensaio. O cantor por diversas vezes chamava o componente, levantando a animação e o canto.

“Gostei muito do nosso ensaio. O samba teve um rendimento acima daquele que eu esperava, por ser o primeiro ensaio na rua. Essa obra possui muita qualidade, assim como a do ano passado. Nós desfilamos no alto do carro de som só dessa vez pra sentirmos como estava o entrosamento com o Wesley”, disse o intérprete Marquinhos Art Samba.

Comissão de Frente

O grupo comandado por Rodrigo Negri e Priscila Motta entrou no meio do ensaio já iniciado. Nenhum problema, os dançarinos evoluíram à frente do casal com movimentos sincronizados e marcações de cabines de julgamento. Durante o ensaio a comissão fez uma coreografia forte, com passos de funk e samba.

Evolução

Outro quesito que a Mangueira demonstra crescimento nos últimos anos. Se até pouco tempo os ensaios eram confusos e bagunçados, a campeã do carnaval demonstra, além de uma escola aguerrida, e competitiva, acima de tudo organizada. As alas passaram coesas, sem clarões dentro delas ou emboladas com as subsequentes e os componentes brincaram, dançaram e cantaram o tempo todo. No trecho “Nasci de peito aberto e punho cerrado” os componentes erguem os pulsos em sinal de resistência e refrão do meio do samba suspendem os braços e simulam o tremular do pavilhão.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

Impressiona o entrosamento da dupla Matheus Olivério e Squel Jorgea. Ambos possuem comunicação no olhar. O mestre-sala mostra que é um dos mais talentosos do Grupo Especial. Squel confirma a cada apresentação que não é um mero acaso seus 200 pontos obtidos desde 2015. No ensaio eles fizeram simulação de jurados e uma coreografia em alto grau de dificuldade, mas com execução de movimentos perfeita.

Samba-Enredo

A obra sofreu alterações após a sua escolha e foi duramente criticada por parte do público do carnaval, porém as mudanças em nada atrapalham o canto da escola. Com uma letra forte e emocionante o samba oficial provou, no primeiro ensaio de rua, o potencial que tem para emocionar e contagiar toda a Sapucaí. Tem funcionalidade para desfile de escola de samba, o que ficou comprovado com o desempenho da harmonia.

Bateria

Ousada. Essa é a melhor característica que pode ser encontrada para designar a atual bateria da Mangueira. Apresentação espetacular, com muita sintonia com o carro de som, e regada a bossas. O mestre que pretende levar de quatro à cinco bossas para avenida prometeu surpreender no próximo carnaval. No ensaio de rua mestre Wesley deixou um gostinho daquilo que poderá ser feito no desfile. Até um sinalizador foi utilizado, enlouquecendo o público na rua. A rainha Evelyn Bastos é sempre show de samba no pé e carisma.

“Estou indo com quatro bossas e ainda tenho mais uma na cabeça. Na próxima quinta vou testar a última, vamos com todas. Acho que para um primeiro foi muito positivo, o samba me surpreendeu positivamente. Estamos no caminho certo. Esse ensaio foi só um tira-gosto do que pretendo fazer na avenida. Esperem muitas surpresas. Nosso andamento será 144 BPM (batidas por minuto)”, afirmou o comandante da bateria.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui