A 68ª edição do Mapa de Risco da Covid-19, divulgada nesta sexta-feira pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), mostra que o estado do Rio de Janeiro voltou para a bandeira amarela, de baixo risco para Covid-19. A análise faz a comparação da quinta semana epidemiológica (SE) deste ano, a SE 05 (30 de janeiro a 05 de fevereiro), com a terceira, a SE 03 (16 a 22 de janeiro). O mapa desta semana apresenta uma melhora nas regiões Metropolitana I, que saiu da bandeira laranja (risco moderado) para bandeira amarela (baixo risco) e Serrana, que estava em bandeira vermelha (risco alto) e agora aparece em bandeira laranja (risco moderado).

As regiões Metropolitana II, Baixada Litorânea e Baía da Ilha Grande permaneceram com bandeira amarela (risco baixo). As regiões Médio Paraíba, Centro Sul e Norte continuam em bandeira laranja (risco moderado). Apenas a região Noroeste se mantém em bandeira vermelha (risco alto).

No período analisado, as internações tiveram uma redução de 71,34%, saindo de 1.267, na SE 03, para 363, na SE 05. Já os óbitos caíram 30,21%, saindo de 321, na SE 03, para 224, na SE 05. Os indicadores apontaram que, no período de 1º a 8 de fevereiro, a taxa de positividade para SARS-CoV-2 em testes RT-PCR realizados em unidades de saúde de todo o estado foi de 50%. Nesta quinta-feira (11.02), a taxa de ocupação de leitos para Covid-19 estava em 55% para UTI e 41% para enfermaria.

– Esta edição do mapa de risco consolida ainda mais a queda dos indicadores da Covid-19, mostrando que a Ômicron já atingiu o pico e agora está em queda sustentável na maior parte das regiões do estado. Nas regiões Norte e Noroeste, ainda estamos com o alerta ligado e, para isso, abrimos dois centros de testagem, um na UPA Campos e outro no Centro Poliesportivo de Itaperuna – ressaltou o secretário de Estado de Saúde, Alexandre Chieppe.

Cada bandeira representa um nível de risco e um conjunto de recomendações de isolamento social, que variam entre as cores roxa (risco muito alto), vermelha (risco alto), laranja (risco moderado), amarela (risco baixo) e verde (risco muito baixo). Os resultados apurados para os indicadores apresentados devem auxiliar a tomada de decisão, além de informar a necessidade de adoção de medidas restritivas, conforme o nível de risco de cada localidade.

Centros de testagem – A taxa de positividade para os testes de Covid-19 realizados nos centros de testagem abertos pelo Governo do Estado teve uma redução de 66%. O levantamento da Secretaria de Estado de Saúde comparou a semana epidemiológica 02 (09 a 15 de janeiro), quando foram realizados 15.746 testes e a taxa de positividade estava em 35,79%, e a semana epidemiológica 05 (30 de janeiro a 05 de fevereiro), quando foram realizados 3.151 testes e a taxa de positividade foi de 12,1%.

Com a baixa procura pelos testes e a queda na positividade, foram desativados o polo do IASERJ, Célio de Barros e os que funcionavam ao lado das UPAs Tijuca e Campo Grande II. O megacentro do Maracanã funcionou até esta sexta-feira (11.01). Já os centros instalados ao lado das UPAs Bangu, Marechal Hermes e Jacarepaguá serão desativados no dia 15 de fevereiro, assim como os que funcionam no PAM Coelho Neto e no PAM Cavalcante. Os polos da UPA Colubandê e do Hospital Estadual Dr. Ricardo Cruz funcionarão até o dia 28 de fevereiro. Os centros de testagem abertos ao lado da UPA Campos, em Campos dos Goytacazes, e no Centro Poliesportivo de Itaperuna seguem em funcionamento.

Comentários