O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, atacou as escolas de samba e a Liesa, nesta sexta-feira, durante coletiva de imprensa para o lançamento da Árvore do Rio, que ficará na Lagoa Rodrigo de Freitas.

“A Uber ajudou no ano passado e quis sair este ano. Eu busquei patrocínio e as escolas perderam, por razões de gestão, falta de transparência e prisão de seus líderes. Se quisermos fazer parcerias com a iniciativa privada, é importante que o prefeito não cobre pedágio, não exija propina. É preciso ter o princípio que gere uma empresa, um lar, uma casa, que é a honestidade”, disse o prefeito do Rio ao jornal Extra.

O prefeito do Rio ainda informou que não sabe quando será feito o repasse da subvenção para as escolas de samba. Segundo ele, a prefeitura tem que gastar dinheiro com educação e saúde.

No mundo das escolas de samba e nas redes sociais, os sambistas criticaram as declarações de Marcelo Crivella. Já existem conversas para realização de um protesto na sede da Prefeitura na Cidade Nova, mas ainda sem data definida.

Comentários