A Mocidade Independente de Padre Miguel é uma das escolas que mais vem sofrendo perdas na pandemia da Covid-19. Já passam de 30 integrantes da verde e branco, entre representantes de segmentos e desfilantes, que morreram devido ao novo Coronavírus. Em entrevista ao site CARNAVALESCO, o diretor de carnaval, Marquinho Marino, disse que a escola aguarda o avanço da vacinação e o cronograma para definir datas de trabalho.

“Dependemos do avanço da vacinação e a definição do cronograma do próximo carnaval, previsão orçamentária. Não temos como colocar as pessoas em risco neste momento. Não dá para escolher um samba com tanta antecipação e depois não conseguirmos trabalhar com ele. A partir do momento que tivermos definição nas duas frentes, vamos definir as datas”.

Marino citou que o que pode ser feito em termos de projeção de desfile, como desenhos e pesquisa, a Mocidade já fez.

“Todas as fantasia e alegorias estão desenhadas, o enredo todo desenvolvido e a pesquisa de materiais feita. Fizemos também o primeiro corte de samba e temos nove obras concorrentes aguardando a sequência da disputa de samba”.

Sobre a nova gestão da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa), o diretor de carnaval acredita na captação de recursos para trazer independência para todas agremiações.

“A mesma seriedade e lisura nos julgamentos, e uma administração voltada para a captação de recursos, reforçando a valorização das escolas de samba perante o poder público e a independência para termos receita o ano inteiro”.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.