A Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Conservação e da Riotur, está executando uma série de ações de revitalização no Sambódromo. O serviço ao longo da Marquês de Sapucaí, previsto para terminar na primeira quinzena de fevereiro, inclui melhorias no sistema de drenagem para captação das águas de chuva, bem como fresagem e recapeamento asfáltico da pista. Até o início deste mês, já foram recapeados cerca de 37% da pista da Passarela, totalizando 360 toneladas de asfalto em uma área de 3.250 metros quadrados.

Foto: Carla Montenegro/Divulgação Seconserva

A secretária de Conservação, Anna Laura Valente Secco, explica que o trabalho irá contribuir com a evolução das escolas de samba e de seus componentes durante os desfiles. As equipes da Conservação também estão ampliando o número de caixas de ralo, que vai mais do que dobrar: dos 33 existentes, passará para 70.

“Há mais de dez anos não era feita uma reforma desse porte no pavimento do Sambódromo. O novo piso vai permitir que carros alegóricos e alas que desfilam no chão passem suavemente, evitando acidentes causados por falhas na pavimentação. A melhoria na captação das águas de chuva vai fazer com que bolsões de água escoem rápido, liberando a passagem para as escolas de samba desfilarem”, diz Anna Laura.

Para o serviço no piso do Sambódromo, estão sendo usados os seguintes equipamentos: uma fresadora, duas minicarregadeiras, uma vibroacabadora e dois rolos compactadores de asfalto. O total de massa asfáltica aplicada no local ao fim dos trabalhos será de 1.850 toneladas.

Comentários