Compositores: Liso e Drudi

EU TAVA “DURUMINDO” NO AYÊ
OUVI A MORADA CHAMAR
CADÊ VOCÊ, QUELÉ?
VEM VADIAR, QUELÉ!
A MOCIDADE SE CURVA AOS TEUS PÉS

Kalunga
Oceano vermelho
Carrega em seus porões, o desespero
Herança de uma história sem fim
Fez sua herdeira, filha de Zambi e lavadeira
Flores à princesa de Valença
Nos jongos, pastoris, folia de reis…”curimas”
Tina faz da prosa, o teu cantar
Que os calos da lida jamais vão calar
Voa feito águia em Madureira
Samba aos pés de uma Mangueira
A glória, enfim, chegou
Levanta, povo
A rosa negra, desabrochou

SARAVÁ, AMÉM
AMÉM, SARAVÁ
CLEMENTINA DE JESUS
CLEMENTINA DE OXALÁ
CARREGA TUA CRUZ
PRO CORPO FECHAR

Canta
É voz que rasga o peito da gente
A cor da resistência está presente
Na alma dos teus irmãos
Agulha de coser a liberdade
Majestade sem vaidade
Rainha Ginga, de Peixeiros, Marinheiros
Em teu reinado no céu, abraçou o menino João Pedro
E falou na porta de São Pedro
“Ninguém quer essa vida cruel”
Quelémentina, mulher preta e favelada, quem diria
No país da mentirosa alforria
Finalmente coroada

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui