Compositores: Mauricio Pito, Felipe Mendonça, Matheus Nassar

Eu sou a “voz da cor” preta
Feito o toque do tambor a ecoar
Morada de emoção, a força da mulher
Elo ancestral! Lá vem Quelé!

Menina “da roça”, que canta o jongo
Vovó que firmou o ponto, a sina!
Batendo a roupa se marca o tempo,
Na luta, todo tormento termina
Rainha Ginga de um povo banto
Reluz “em canto”, paz “de Jesus”
Oh, Glória! A rosa que nasce pra História
De ouro, a arte que brota do morro
Vem da favela, partideira em Madureira
Um ”céu no chão” em Mangueira!

Oh, “Marinheiro “ “na linha do mar”
“Embala eu” pro “sonho meu” realizar
Cadê você, Mãe Clementina?
“Vou vadiar”! “Vou vadiar”!

Levanta, nego, cativeiro acabou e não te silenciou
Resistir é cantar pra igualdade conquistar
De “Yaô”, de “Benguelê”,
Vamos sarava Xangô no batuquejê
Filha de zambi, de oxalá
Corpo fechado, alma de África
Orgulho da nossa gente, negra flor
Pureza preservou
A negritude vem coroar no altar do samba
A Mocidade eternizar no coração do bamba

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui