Compositores: Ronaldo Ornellas Jr e Renato Poubel

Rainha Quelé, a voz da cor,
a nossa morada reluz seu olhar
vem vadiar com a Mocidade
axé, respeito e igualdade (BIS)

Seu canto ecoou em romarias,
jongos e ladainhas
folias de reis.
Eu hoje oferto flores a sua vida
Oh filha de Zambi
Quelémentina

Entoava o som dos escravos
a voz de Valença
que ao mundo encantou.
Entoando o som dos escravos
aos pés da Mangueira
encontrou seu grande amor.

Olhai por nós, Senhora da Glória,
minha negra história
desce a ladeira da opressão
e faz brotar
na terra do samba
a negritude nos palcos
morada da minha emoção.

Menina, do ventre africano,
és Tina, da ginga e do encanto.
Da luta fez surgir à aclamação
ser livre é sua vocação (BIS)

Ooooo meu bom marinheiro,
quem te ensinou a nadar?
No mar salgou-se o desejo
de liberdade
com cantos para Oxum e Oxalá.

Ooooo ooo Clementina,
cadê você?
“Estou aqui!” Seu grito ressoou!
Levanta meu povo!
O cativeiro acabou!

Comentários